Resources

Gestão de riscos

Gestão de riscos

Gestão de riscos

Trabalho infantil na cadeia de fornecedores: 6 formas de combater

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

May 14, 2023

May 14, 2023

May 14, 2023

O trabalho infantil na cadeia de fornecedores consiste no uso de mão de obra, por parte das empresas fornecedoras, de crianças e adolescentes com idade inferior à permitida pela legislação

E, neste sentido, é válido ressaltar que, no Brasil, a contratação de crianças menores de 13 anos é terminantemente proibida. Entre os 14 e 16 anos, elas podem ser contratadas sob as regras da Lei do Aprendiz (Lei nº 10.097, de 2000). 

Já entre os 16 e 17 anos as diretrizes vêm do Decreto n° 6.481, de 12 de junho de 2008 que permite a contratação dessa faixa etária, mas veda a realização de atividades perigosas, noturnas e insalubres.

Contudo,  ainda que haja leis claras e vigentes, infelizmente, a mão de obra infantil ainda é uma realidade no Brasil e no mundo.

Por aqui, dados do Painel de Informações Estatísticas da Inspeção do Trabalho no Brasil (Radar SIT), revelaram que 2022 encerrou com a identificação de 2.187 crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil, fruto de 1.350 fiscalizações.

Somente no mês de janeiro de 2023, já foram encontradas 187 crianças e adolescentes nas mesmas condições, como resultado de 93 fiscalizações realizadas no período.

Sobre isso, vale destacar que muitas delas estão trabalhando em empresas fornecedoras, situação que compromete seriamente a rede de abastecimento dos contratantes.

A fim de combater o trabalho infantil na cadeia de fornecedores, a IFC, International Finance Corporation, definiu uma série de boas práticas que devem ser usadas pelas empresas para alcançar esse resultado.

Siga a leitura deste artigo para conferir quais são e como elas podem ser aplicadas na rede de fornecedores do seu negócio.

O que é o IFC (International Finance Corporation)?

Fundada em 1956, a IFC (International Finance Corporation) é a maior instituição global de desenvolvimento voltada para setores privados de países em desenvolvimento.

Membro do Grupo Banco Mundial, instituição financeira internacional, o papel da IFC é promover a melhoria da vida das pessoas, o desenvolvimento econômico e fomentar o crescimento do setor privado.

Atuando em mais de 100 países, incluindo o Brasil, o principal objetivo dessa entidade é criar novos mercados, especialmente por meio da mobilização de investidores.

Com essa abordagem, a International Finance Corporation consegue criar novos empregos e melhorar a vida das pessoas, principalmente as mais vulneráveis e pobres. 

Por conta disso, o luta contra o trabalho infantil na cadeia de fornecedores também está no radar da IFC.

Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.

Quais são as recomendações do IFC sobre o trabalho infantil na cadeia de fornecedores? 

A fim de combater o uso de mão de obra de crianças e adolescentes em supply chain, a IFC criou um documento denominado "Nota de Boas Práticas: Abordando o Trabalho Infantil no Local de Trabalho e na Cadeia de Suprimentos", na tradução para o português.

Como o próprio nome sugere, a nota traz uma série de diretrizes que podem ser adotadas pelas empresas que se preocupam e querem acabar com o trabalho infantil na cadeia de fornecedores.

Entre os direcionamentos apontados no documento, alguns exemplos são:


  • abordar o tema na organização: a fim de educar os funcionários sobre o assunto, destacando a importância e todos os riscos e prejuízos que traz para os envolvidos;


  • despertar a sensibilidade: abrangendo não apenas os funcionários, mas também a comunidade, investidores e outros agentes que fazem parte da rotina da companhia;


  • desenvolver políticas internas de combate ao trabalho infantil: com regras e punições que podem ser aplicadas a fornecedores que comprovadamente utilizam mão de obra de crianças e adolescentes;


  • criar planos de implementação: como cronograma e prazos para que as medidas anteriores passem a fazer parte dos processos do negócio;


  • monitorar os resultados e ações: com o objetivo de verificar se as boas práticas definidas foram devidamente adotadas e os retornos que trouxeram;


  • firmar parceria com outros negócios que defendem a mesma causa: a exemplo de ONGs, organizações nacionais e internacionais, entre outras.


Outras diretrizes da IFC para a gestão de fornecedores

Pensando na gestão e no relacionamento com fornecedores, outras boas práticas que podem ser extraídas das diretrizes da International Finance Corporation são:


  • aprimorar o gerenciamento dos riscos: adotando variados métodos para esse tipo de verificação;


  • melhorar a seleção de fornecedores: buscando por aqueles que compartilham dos mesmos valores, e tomando cuidado para avaliar o local de trabalho e as instalações da empresa fornecedora, se possível;


  • estruturar acordos contratuais: com cláusulas que proíbem o uso de mão de obra infantil;


  • atentar-se para subcontratações: que é quanto o fornecedor terceiriza algumas funções da empresa, visto que há o risco dessas serem realizadas por crianças e adolescentes;


  • exigir certificações: pois esses documentos atestam a qualidade do que é fornecido, bem com o atendimento de diversas normas internacionais;


  • treinar e incentivar os fornecedores: mostrando todos os riscos e prejuízos do trabalho infantil na suplly chain, assim com feito com os colaboradores da empresa;


  • monitorar a conformidade: para garantir que os fornecedores mantenham o atendimento às leis durante todo o período contratual.


Não deixe de ler este artigo: "Como identificar empresas que exploram mão de obra infantil?"

Como usar a tecnologia para combater o trabalho infantil na cadeia de fornecedores?

A International Finance Corporation também orienta como uma empresa deve agir quando identifica o uso de trabalho infantil em sua rede de abastecimento.

Para isso, a entidade sugere a definição e implementação de medidas que ajudem a eliminar a necessidade dos serviços prestados por crianças e adolescentes, a exemplo de orientar a família ou seus responsáveis, e oferecer a eles melhores condições.

Entretanto, para adotar ações como essas, é preciso, primeiro, comprovar que o fornecedor faz uso de mão de obra infantil. A melhor maneira para  isso é contar com o apoio da tecnologia.

O sistema da Linkana, por exemplo, tem a funcionalidade monitoramento e alertas, que mostra mudanças na situação de uma empresa fornecedora em tempo real, mitigando os riscos de irregularidades enquanto o contrato entre vocês está vigorando.

Outras funcionalidades que ajudam a aprimorar a gestão de fornecedores do seu negócio são:










Extra! Entenda mais sobre o Linkana ESG Rating e como essa ferramenta contribui na identificação de fornecedores qualificados e confiáveis para o seu negócio!

https://www.youtube.com/watch?v=T1DmQi-JmKQ

Quer mais detalhes sobre como as soluções da Linkana melhoram a gestão de fornecedores da sua empresa? Então preencha agora mesmo o formulário abaixo!

Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market