Resources

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores

Liquidez e solvência: o que são e como afetam a sua empresa?

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

November 7, 2023

November 7, 2023

November 7, 2023

Liquidez e solvência são conceitos relacionados à análise da saúde financeira de uma empresa a partir da mensuração de seus ativos e passivos. O principal objetivo é verificar se a companhia tem capacidade para arcar com os compromissos financeiros de curto e médio prazo.

Relacionando a definição acima à gestão de fornecedores, é fundamental você ter em mente que, quando uma empresa que faz parte da sua cadeia de suprimentos está com problemas financeiros, pode impactar seriamente o desempenho da sua.

Imagine que um fornecedor não esteja conseguindo arcar com os custos da folha de pagamento e que a situação está elevando os pedidos de demissão e a taxa de turnover desse negócio.

Com o quadro de funcionários deficiente, certamente ele terá dificuldades de cumprir os prazos para entregar os insumos ou serviços que você contratou, concorda? 

Por motivos assim é que, na hora de realizar a homologação de fornecedores, é fundamental analisar a saúde financeira dos parceiros, bem como outros critérios tão importantes quanto, a exemplo de qualidade, preços, tempo de mercado e outros relacionados.

Liquidez e solvência são índices que devem ser considerados na avaliação, assim como na gestão financeira da empresa. Dessa forma, você também terá a certeza de que tem capacidade de honrar com seus compromissos — a exemplo de pagar os fornecedores em dia.

Neste artigo, falaremos em detalhes sobre esses índices, incluindo o que são, qual a diferença entre eles, qual a finalidade, como calcular e muito mais. Portanto, siga a leitura e confira tudo agora mesmo!

O que são liquidez e solvência?

Liquidez e solvência são índices contábeis que ajudam a mensurar e a identificar como está a saúde financeira de uma empresa e sua capacidade de honrar com os compromissos monetários. Isto é, se ela tem potencial para pagar as contas em dia e, com isso, manter um bom relacionamento com os credores.

Para o entendimento ficar mais claro, é interessante explicarmos sobre cada um deles separadamente, concorda? 

O que é liquidez?

A liquidez financeira pode ser definida como a capacidade que um negócio tem de cobrir o passivo circulante (dívidas, despesas, gastos e custos) apenas com os ativos atuais dos quais dispõe (bens e direitos que podem ser revertidos em dinheiro em pouco tempo).

Por conta dessa característica, o índice é considerado de curto prazo e também um dos mais importantes, visto que, sem valores disponíveis, o negócio não consegue arcar com as responsabilidades financeiras imediatas e, assim, manter suas atividades.

Outra forma de explicar o que é índice de liquidez é dizendo que se trata da rapidez com a qual uma companhia consegue converter ativos em dinheiro. Esses ativos, chamados de circulantes, são bens ou direitos que podem ser transformados em valores no período de um ano fiscal da companhia, ou seja, no máximo em 12 meses.

Alguns exemplos de ativos circulantes que afetam a liquidez de uma empresa são:

  • dinheiro em caixa;

  • matéria-prima e insumos;

  • estoque de produtos prontos para comercialização;

  • contas a receber em curto prazo, como pagamento com cartão de crédito;

  • aplicações financeiras também de curto prazo, a exemplo do CDB, Certificado de Depósito Bancário.

O que é solvência?

A solvência se refere à mensuração da capacidade que um negócio tem de se manter atuante e de honrar com os compromissos financeiros assumidos em longo prazo. No caso, a companhia é considerada insolvente quando não tem esse potencial.

A ideia é haver recursos financeiros suficientes para garantir as atividades empresariais, arcar com os custos gerados e ainda formar uma reserva de valor que poderá ser usada em caso de imprevistos.

O índice de solvência costuma ser dividido em diferentes tipos. Alguns exemplos que podemos citar são:

  • dívida total de ativos: montante identificado a partir da divisão dos passivos de curto e longo prazo pelos ativos totais da empresa;

  • índice de cobertura de juros: para chegar a esse valor, é necessário dividir os lucros obtidos antes da contabilização dos impostos e juros pelo valor total das despesas incidentes de juros;

  • coeficiente dívida-patrimônio: é a mensuração da dívida total da empresa em comparação ao patrimônio. Para chegar a esse resultado, é preciso dividir o total de passivos pelo patrimônio líquido total.

Não deixe de ler este artigo: "Análise financeira de fornecedores: qual a importância e como fazer?"

Qual a diferença entre liquidez e solvência?

Como você deve ter notado, a principal diferença entre liquidez e solvência é o prazo ao qual esses índices se referem.

Enquanto a liquidez diz respeito à obtenção de valores e pagamento de compromissos financeiros em curto prazo, a solvência se refere à verificação das condições monetárias que a empresa tem para garantir seu funcionamento em longo prazo.

Explicando de outro modo, a liquidez é um conceito atrelado à capacidade imediata de pagamento de dívidas e despesas. Já a solvência corresponde ao potencial da companhia de se perpetuar, isto é, se manter ativa e saudável financeiramente com o passar do tempo.

Ambos os índices são fundamentais de serem mensurados e acompanhados, a fim de avaliar a real condição financeira do negócio e, com base nisso, tomar boas decisões gerenciais.



Qual a finalidade dos indicadores de liquidez e solvência?

A finalidade dos indicadores de liquidez e solvência é servir de ferramentas para calcular a capacidade financeira que uma empresa tem em curto e médio prazo.

Basicamente, os índices atuam como diversos outros indicadores financeiros e gerenciais existentes, que têm, por objetivo, mensurar e revelar resultados de diferentes processos e ações. 

No caso do índice de solvência geral e do índice de liquidez geral, especificamente, são usados para analisar e acompanhar a saúde financeira de uma companhia.

A partir dos resultados revelados pelos indicadores, os gestores têm muito mais respaldo para deliberar, especialmente pelo fato de tomadas de decisão baseadas em dados serem muito mais precisas e concretas.

Com isso, conseguem estruturar planejamentos financeiros adequados à realidade da companhia, bem como planos de vendas e de marketing que ajudem a melhorar a performance e a lucratividade do negócio.

Dica! Aproveite e leia também: "4 indicadores de desempenho de fornecedores para agregar mais segurança e eficiência às parcerias"

Quais são os principais indicadores de liquidez?

Liquidez e solvência têm indicadores distintos. Os voltados para mensuração de capacidade financeira de curto prazo são:

  • liquidez corrente (LC): também chamado de liquidez comum, esse indicador pode ser usado para o dia a dia da empresa, porém, deve estar constantemente atualizado. 

  • fórmula para cálculo: ativo circulante/ passivo circulante = liquidez corrente

  • liquidez seca (LS): aponta a capacidade de pagamento da companhia desconsiderando o estoque. Isto é, se é possível arcar com os compromissos financeiros mesmo mantendo o estoque cheio.

  • fórmula para cálculo: (ativo circulante – estoque) / passivo circulante = liquidez seca

  • liquidez imediata (LI): revela quanto o negócio tem disponível para usar em curto prazo e se consegue bancar despesas emergenciais. Por isso, o foco do indicador costuma estar nas quantias disponíveis no caixa, em aplicações financeiras e contas correntes.

  • fórmula para cálculo: dinheiro disponível / passivo circulante = liquidez imediata.

  • liquidez geral (LG): usado para mensurar a capacidade financeira de períodos superiores a 12 meses. Não é frequentemente calculado, mas é útil para apurar se a companhia está diminuindo ou aumentando sua liquidez.

  • fórmula para cálculo: (ativo circulante + realizável em longo prazo) / (passivo circulante + passivo não circulante) = liquidez geral

Confira também: "Análise de estabilidade financeira de fornecedores: como realizar?"

Como se calcula o índice de solvência?

Já para calcular o índice de solvência, basta usar a seguinte fórmula:

(LL+Dp)/P

Sendo as letras correspondentes a:

  • LL — lucro líquido: valor total adquirido pela empresa no final do período, já descontadas as despesas com impostos e outros custos relacionados;

  • Dp — depreciação dos bens: a exemplo da perda de valorização de frotas de veículos usados há muito tempo, que já estão gerando custos elevados para a companhia;

  • P — passivos: engloba todas as dívidas que o negócio tem, tanto em curto quanto em longo prazo.

E se você está pensando qual a importância do índice de solvência, saiba que trata-se de um indicador essencial para a realização de uma boa gestão financeira.

Como comentamos, por meio dele é possível identificar a capacidade financeira que uma empresa tem de se manter ativa por muitos anos. 

O índice de solvência também aponta a realidade sobre a saúde financeira do negócio, revelando o lucro líquido recebido em determinado período, a perda de valorização dos bens e quanto a companhia tem em dívidas.

Ter tais informações nas mãos permite aos gestores melhorar seus planejamentos financeiros, bem como definir quais ações e medidas podem ser tomadas para garantir a continuidade das operações de modo saudável e constante financeiramente.

Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.

Qual o reflexo da liquidez e da solvência na gestão de fornecedores?

Logo no início deste artigo, dissemos que liquidez e solvência são importantes tanto para aprimorar a gestão da sua empresa quanto para evitar problemas com seus fornecedores, se lembra?

Para explicar melhor essa relação, vale lembrar que esse tipo de parceria está cercada de inúmeros riscos, e o financeiro é apenas um deles. Por isso, é fundamental apurá-los bem de perto.

A análise de risco de crédito, por exemplo, é a mais alinhada à liquidez e solvência. O motivo é que a verificação aponta, justamente, a capacidade que uma empresa fornecedora tem de arcar com os compromissos financeiros que tem.

Fornecedores que não conseguem pagar suas dívidas e despesas geram, para o seu negócio, ameaças como:

  • desabastecimento;

  • perda de faturamento decorrente do atraso ou da não entrega de insumos ou serviços;

  • problemas de imagem, especialmente quando a deficiência do fornecedor afeta a produção da sua empresa, gerando atrasos nas entregas aos clientes finais;

  • legais, a exemplo de quando o parceiro não arca com despesas fiscais e trabalhistas;

  • entre outros similares.

Não existe outra forma de proteger sua empresa de riscos na cadeia de suprimentos que não avaliando, precisamente, a atuação e a saúde financeira dos fornecedores já contratados ou dos que pretende contratar. 

Para isso, contar a tecnologia faz toda a diferença!

Como a Linkana ajuda a mitigar riscos na cadeia de suprimentos?

A Linkana é a primeira fundação de dados de fornecedores compartilhada do Brasil. Nossa base de dados de perfis universais de fornecedores permite que compradores analisem e homologuem potenciais parceiros comerciais em alguns cliques. 

Com isso, aceleramos radicalmente os processos de onboarding, de análise e de monitoramento de fornecedores — graças aos dados dos fornecedores já preenchidos por eles ou por outra empresa —, permitindo o uso de informações e insights compartilhados entre as maiores corporações do nosso país.

Nossos principais diferenciais, em comparação a outros sistemas disponíveis no mercado são:

  • PERFIL UNIVERSAL DO FORNECEDOR → Com os perfis de fornecedores compartilhados da Linkana, dados e documentos de fornecedores são reaproveitados em rede, compartilhando informações atualizadas entre múltiplos compradores e acelerando processos de forma automatizada e sem burocracia.

  • MELHORES INSIGHTS → Nossos scores, ratings e certificações proprietários são construídos e compartilhados com a inteligência das maiores corporações do Brasil, garantindo aderência às melhores práticas e exigências de mercado.

  • PLUG N' PLAY →  Conecte seu sistema legado, ERP ou e-procurement com nossa fundação de dados de fornecedores, tornando-a sua fonte única de verdade, dinâmica e 100% integrada em questão de minutos.

No vídeo abaixo, com Leo Cavalcanti, CEO e cofundador da Linkana, você confere mais sobre o que oferecemos para melhorar a gestão de fornecedores da sua empresa!

https://youtu.be/T4CMXDrgswQ?si=3lTHS3D1w1Xv8kRv

Quais recursos a Linkana oferece para sua empresa?

Entre os recursos disponíveis, está o Linkana Financial Rating, solução de pontuação única criada pela Linkana para atestar a saúde financeira da empresa no mercado.

A pontuação envolve não só informações de demonstrativos financeiros da empresa, mas também informações relacionadas a endividamento e crédito, porte, regularidade fiscal e passivos trabalhistas.

Você também pode contar com o Linkana ESG Rating, ferramenta de análise de riscos de indicadores ESG, realizada por meio de pontuações atribuídas aos critérios ambiental, social e de governança. Os pontos têm, como base, dados públicos e documentos  apresentados pelos próprios fornecedores.

Que tal conferir, na prática, como todos os recursos funcionam? Então, preencha agora mesmo o formulário abaixo e converse com um dos nossos especialistas!


Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market