Resources

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores

Big data na supply chain: a estratégia do futuro

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

May 29, 2022

May 29, 2022

May 29, 2022

Utilizar o big data na supply chain é a melhor maneira de obter vantagem competitiva e se destacar no mercado. Quanto mais a gestão da cadeia de suprimentos usar a tecnologia a seu favor, melhor será o controle e a visibilidade de todos os processos executados.

A pesquisa feita pelo Projeto Indústria 2027, que é uma iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e parceiros, revelou que 21,8% das indústrias planejam digitalizar totalmente o seu o processo produtivo nos próximos 10 anos.

Além disso, ela apurou que os setores de bens de capital, agroindústria e automotivo são os que mais acreditam na prevalência de tecnologias 4.0 para melhorar a competitividade das empresas até 2027.

E para atingir esse cenário ideal, a inovação e a tecnologia precisam entrar de uma vez por todas na mentalidade e nos investimentos dos gestores e representantes corporativos. Principalmente quando falamos sobre cadeia de suprimentos.

Mas, poucas empresas aplicam a análise de dados em sua rotina. Por isso, trouxemos neste texto tudo o que você precisa saber sobre o uso do big data na supply chain.

O que é big data?

O termo big data, “grandes dados” em português, pode ser considerado recente: ele foi usado pela primeira vez nos anos 2000 por Doug Laney, analista industrial, em um artigo.

Ele dividiu o big data em 5 V´s para facilitar a implementação dessa tecnologia nos negócios:

  • volume: a alta quantidade de dados coletados e armazenados;

  • velocidade: a rapidez que os dados são coletados, armazenados e organizados;

  • variedade: diversos formatos de dados disponíveis para serem analisados;

  • variabilidade: variação na quantidade de dados gerados pelo usuários e datas e eventos sazonais;

  • vínculo: conexão múltipla e integração entre diversos elementos.

Logo, podemos constatar que o big data significa grande volume e variedade de dados, que são processados, armazenados e conectados em alta velocidade.

Com o avanço tecnológico, como o armazenamento em nuvem, os sistemas possibilitam análises e insights ainda mais inteligentes e complexos. 

Como funciona o big data na supply chain?

O big data pode ser implementado em todos os setores do negócio. Ao reunir informações em tempo real, os sistemas que usam essa tecnologia oferecem análises e relatórios completos, que tornam a tomada de decisão mais certeira e precisa.

Já no ramo da cadeia de suprimentos, o big data é fundamental para alavancar os resultados da empresa, mostrar possibilidades de negócios e os gargalos nos processos operacionais.

É como se ele harmonizasse rapidamente toda uma orquestra, avaliando quais instrumentos estão desafinados ou fora do ritmo, quais precisam aumentar o volume para soarem melhor aos ouvidos e quais podem ser dispensados.

Com o comportamento do consumidor mudando constantemente, a gestão de supply chain ganhou um papel estratégico fundamental para os resultados financeiros da empresa.

Ou seja, com a implantação da Supply Chain 4.0 todos os processos são avaliados e conectados nos mínimos detalhes para obter melhores resultados e, consequentemente, gerar mais faturamento.

Leia mais: O que é gestão de risco? Para que serve? [Guia Prático]

Benefícios do uso do big data

  • otimização de rotas, tornando-as mais inteligentes ao analisar o histórico de envios, o trânsito, as condições climáticas etc;

  • maior rapidez na entrega ao cliente;

  • visão completa da cadeia de suprimentos, dos indicadores macroeconômicos, informações internas da empresa, entre outros;

  • acompanhamento completo do comportamento e dos riscos de diversas categorias de suprimentos;

  • maior controle e acompanhamento de fornecedores;

  • melhora do relacionamento com os fornecedores;

  • análise precisa de riscos e de previsão de demandas;

  • otimização de processos operacionais e burocráticos;

  • acompanhamento de todos os processos em tempo real;

  • melhor gerenciamento de estoque;

  • segmentação de clientes;

  • redução de custos e falhas operacionais;

  • insights com dados completos e indicadores de desempenho.

Um exemplo do uso de big data para ganhar vantagem competitiva é da Amazon. Ela investiu em uma análise de grande volume de dados para realizar a entrega antecipada. 

Como? A partir dos dados coletados e avaliados sobre o padrão de compra e outras informações pessoais dos clientes, ela consegue prever a sua demanda com antecedência, gerenciando toda a cadeia de suprimentos e de logística.

Dessa forma, ela reduziu o tempo de entrega de seus produtos, aumentando a satisfação e a retenção de seus consumidores.


Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.

Desafios do big data na supply chain

Os clientes estão cada vez mais exigentes quando recebem produtos ou contratam serviços. Eles buscam bens personalizados, com entrega rápida e de qualidade.

Por isso, a cadeia de suprimentos precisa se adaptar para acompanhar os novos hábitos de consumo. O foco na melhoria contínua de processos e análises consistentes impacta diretamente a satisfação do cliente final.

Mas, ainda há desafios a serem solucionados pelas empresas e indústrias. Confira quais são os dois principais:

  • falta de treinamento e habilidade técnica dos gestores de supply chain em análise de dados;

  • falta de um processo estruturado para avaliar e identificar oportunidade de big data na cadeia de suprimentos.

Esses desafios podem ser superados quando a implantação da Supply Chain 4.0 for a prioridade do negócio. Assim, é possível oferecer treinamentos adequados e reestruturar processos e operações internas. 

Continue aprendendo: Gestão da cadeia de suprimentos: como levar esse gerenciamento a outro patamar?

Como usar o big data na supply chain?

O principal objetivo da implantação de tecnologias de big data na empresa deve ser a tomada de decisão estratégica. A possibilidade de selecionar os melhores modelos de processos operacionais tem de ser usada de modo correto e eficiente.

Na área de planejamento de vendas, gerenciamento de estoque e operações, o big data na supply chain pode reestruturar todo o processo de gestão por conectar e interpretar dados internos e externos, tornando a previsão de demandas mais precisa e acompanhada em tempo real.

No quesito de fornecimento, o big data vai além da observação do volume e gastos de compras e do desempenho de fornecedores. Os processos de abastecimento são acompanhados em tempo real, possibilitando a adaptação operacional em caso de atrasos de entrega.

Além disso, o big data ajuda a calcular riscos do fornecedor, mapear toda a cadeia de suprimentos e sair na frente da concorrência com decisões estratégicas. 

Os processos de fabricação também são potencializados com a adoção dessa tecnologia. Eles podem ser programados para se beneficiarem das oscilações de preços dos itens no mercado. 

Outra forma de usar o big data na supply chain é o aprimoramento do uso do espaço em armazéns, agilizando o deslocamento dos funcionários em sua rotina de trabalho. 

Ou seja, há inúmeras possibilidades de reestruturar todas as áreas que envolvem a cadeia de suprimentos minuciosamente. O big data já ajuda diversas empresas pelo mundo a se tornarem mais competitivas e a faturarem cada vez mais alto.

Quer testar como a tecnologia agiliza os processo de busca, avaliação e homologação de fornecedores, com o uso de tecnologias como big data e inteligência exemplo? Preencha o formulário abaixo e conheça a Linkana:


Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market