KPIs da Supply Chain: 5 indicadores essenciais para sua empresa começar a acompanhar

A cadeia de suprimentos pode ser olhada como a espinha dorsal de um negócio. Com seus vários processos, desde a definição de um pedido de insumos e matérias-primas até a entrega do produto final para os clientes, é com uma cadeia eficaz que todas essas etapas são cumpridas de forma suave, eficiente e consistente.

Existem até mesmo estudos que reforçam isso. De acordo com a empresa de auditoria e consultoria empresarial Deloitte, 79% das companhias que possuem supply chains de alto desempenho conseguem um crescimento de receita maior que a média na sua área de atuação.

Mas mesmo com uma importância tão grande, cerca de 40% das empresas não olham para métodos como as KPIs (Key Performance Indicators, ou indicadores-chave de performance) de Supply Chain para conseguir melhorar seus processos. 

Portanto, nesse artigo, você descobrirá a importância que a KPI tem para o seu negócio e quais são os indicadores essenciais para você acompanhar a partir de hoje.

Quais são os principais KPIs da Supply Chain?

KPI é uma sigla do termo em inglês Key Performance Indicator, que traduzido significa indicador-chave de desempenho. Esses indicadores são comumente usados por executivos e chefes de companhias que desejam medir o desempenho de seus processos para, dessa maneira, conseguir comunicar o desenvolvimento da empresa aos demais colaboradores e alcançar metas estabelecidas.

Os KPIs são assunto de destaque em grandes empresas, como a Serasa Experian, que gravou um vídeo sobre o assunto:

https://www.youtube.com/watch?v=9M2QTy3yIRY

Essas métricas são definidas por parâmetros específicos que podem ser usados, por exemplo, na quantificação e definição de processos da Supply Chain. Quando olhamos para essa área, os principais KPIs são:

  • Rotação de estoque
  • Cobertura de estoque
  • Lead time de compras
  • Taxa de pedido perfeito
  • Savings da empresa

Abaixo, vamos abordar com mais detalhes esses indicadores e a frequência cuja qual o acompanhamento deles deve ser feito.

Rotação de estoque

Conhecido também como vida útil ou cobertura de estoque, esse KPI determina o número médio de dias necessários para acabar um estoque. Para você descobrir o valor da sua empresa, é necessário levar em consideração as últimas 52 semanas – portanto, um ano – para ter um KPI que também inclua variações sazonais.

Ao ter esse período de um ano, você descobrirá quantas vezes o estoque gira mesmo considerando épocas de picos de vendas como o Natal, onde as empresas costumam ter muito estoque antes, com poucas vendas (muitos dias de estoque) antes do pico, então muitas vendas e poucos estoques após o pico.

Todavia, se você trabalha com itens que tem uma data de validade mais curta, o cálculo pode ser feito mensalmente ou seguindo as datas médias de validade dos produtos.

Quanto menor o número de dias, mais eficiente é seu estoque. Mas se a rotação de estoque for extremamente baixa, é possível que sua empresa não tenha estoque suficiente e, então, aumente a probabilidade de escassez.

E se você está na dúvida sobre trabalhar com base no custo ou na quantidade, a sugestão é dar preferência para o valor, já que dessa maneira estão representando ativos fixos. Melhorando seus preços de compra, o que melhora é sua rotação de estoque em valor – e não em quantidade.

A equação para o giro do estoque é = custo dos produtos vendidos / estoque médio.

Como fazer o cálculo do estoque médio? 

Em um mundo ideal, esse cálculo deve ser feito ao longo do período determinado com a média de estoque por dia, porém sabemos que poucas empresas possuem um registro tão detalhado.

Portanto, a média pode ser feita por semana ou por mês para facilitar essa conta. E caso não haja nenhum registro, é só tirar a média entre o estoque inicial e final do período escolhido.

Estoque médio = Vendas totais x Número de dias no período selecionado

Atenção: não se esqueça de considerar no cálculo o mesmo período para estoque e vendas!

Não entendeu? Vamos então supor que o seu estoque médio em 2019 é de R$ 500 mil e sua média de venda diária seja de R$ 10 mil. A conta será:

500.000/10.000 = 50 dias

Cobertura de estoque

Já nesse KPI da Supply Chain nós usamos previsões de vendas futuras ao invés de vendas anteriores para poder estimar o giro de estoque futuro. Nessa situação, o cálculo que deve ser feito é estoque atual + estoque em trânsito. 

Apesar desse não ser um cálculo perfeito, já que ele não leva em conta cenários como flutuações sazonais e datas de entrega de cada pedido, ele pode ajudar sua equipe sobre os riscos futuros de falta ou excesso de estoque.

Para ajudar nisso, sua empresa também pode adicionar duas colunas de informações nas planilhas de controle: próxima data de recebimento e próximas quantidades que serão recebidas.

Com isso, é mais fácil ver se seu próximo pedido chegará a tempo para as próximas produções ou também se chegará cedo demais, causando um problema de armazenamento no estoque.

Lead time de compras

Nesse KPI da Supply Chain, que significa tempo de espera, sua equipe foca o olhar para o tempo entre aquisição de um insumo até a chegada dele na sua empresa.

Vamos supor que uma multinacional de eletrônicos recebeu um pedido de 100 computadores de outra empresa. Essa multinacional precisa dar ao consumidor um prazo previsto de entrega, não é mesmo?

É aí que entra o lead time, que calculará quantos dias são necessários para entregar os 100 computadores, desde o pedido da matéria-prima até o envio ao cliente. Mas como fazer esse cálculo?

Já que existem diversos fatores que influenciam uma Supply Chain, esse mesmo número influencia simultaneamente o lead time. Para calcular o lead time, sua companhia então deve:

  • Enumerar todos os insumos necessários para a produção de cada mercadoria
  • Levantar o tempo de entrega de cada insumo à fábrica
  • Priorizar a compra dos insumos que levam mais tempo para serem recebidos
  • Calcular o número de dias necessários para fabricação das mercadorias pós-recebimento
  • Acrescentar uma margem de segurança no prazo final

Entenda mais em Lead time de compras: o que é, qual a importância e como calcular?

Como pôde perceber, os fornecedores são intrínsecos nesse KPI, já que é com o insumos deles que a produção começa. Por isso, é fundamental escolher parceiros que trabalhem com cuidado e agilidade. 

E existem softwares como a Linkana que podem lhe ajudar com isso. Por meio de tecnologias como Machine Learning e RPA (Robotic Process Automation) é possível automatizar todo o processo de homologação e qualificação de fornecedores, mitigando riscos e reduzindo a burocracia.

Taxa de pedido perfeito

Atenção, pois na supply chain, esse KPI é um dos mais importantes para companhias que operam em setores diversos. 

Através dessa taxa, sua empresa medirá a capacidade de entregar pedidos sem incidentes, ajudando a sua equipe a resolver adversidades como imprecisões, danos, atrasos e perdas de estoque. Essa conta é feita por:

Porcentagem de pedidos entregues no prazo x porcentagem de pedidos concluídos x porcentagem de pedidos sem danos x porcentagem de pedidos com documentação precisa x 100.

Quanto maior essa taxa, melhor para a sua empresa, já que esse KPI da Supply Chain possui um impacto direto nos níveis de retenção e fidelidade do cliente.

Savings da empresa

Nós sabemos o quão importante é economizar para uma empresa, então é claro que não deixaríamos de trazer uma KPI sobre esse assunto. Para calcular esse indicador-chave é simples: basta comparar o que foi orçado e o que foi realmente comprado pela sua empresa.

E esse não é o único uso que esse KPI pode ter, já que é possível que uma empresa também tenha um saving de tempo. 

Imagine que sua equipe de Procurement estava comprando uma matéria-prima com muita antecedência, precisando armazená-lo por um longo período. Porém, após aprimoramentos dos processos, esses materiais passaram a ser comprados próximos do prazo de uso, reduzindo gastos de tempo e dinheiro com armazenamento.

Esses são alguns dos KPIs de Supply Chain que sua empresa deve conhecer para se tornar mais eficiente e produtiva. Se você se interessou no assunto, recomendamos também a leitura do artigo KPI para compras: 9 indicadores essenciais para acompanhar.

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.