Resources

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores

Gestão de Fornecedores

Riscos na cadeia de suprimentos: quais são e como evitá-los?

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

June 27, 2023

June 27, 2023

June 27, 2023

Riscos na cadeia de suprimentos são todas as potenciais ameaças que podem surgir decorrente da contratação de um fornecedor

Por exemplo, dependendo da forma de atuação da empresa fornecedora, ou mesmo da localização, a sua pode correr o risco de desabastecimento o que, por sua vez, pode comprometer seu fluxo produtivo ou operacional.

Por mais que cada negócio tenha dinâmicas específicas e atue em segmentos distintos, o fato é que todos devem gerenciar bem os riscos na cadeia de suprimentos, a fim de evitar as consequências que negligenciar esse cuidado pode gerar.

Como exemplo dos motivos que justificam essa ação, podemos citar: evitar o comprometimento da qualidade do produto e/ou serviço que é entregue ao cliente final e não sofrer perdas financeiras decorrentes desse e de outros fatores relacionados.

Porém,  existem várias outras razões pelas quais é tão importante fazer uma boa gestão de riscos na cadeia de fornecedores do seu negócio. Neste artigo falaremos quais são, as principais ameaças que sua empresa pode ter que enfrentar por conta dessa parceria e como a tecnologia pode ajudar a mitigar esses riscos.

Então, siga a leitura e confira agora como proteger seu negócio.

O que são riscos na cadeia de suprimentos?

Riscos na cadeia de suprimentos são possíveis ameaças, perigos e transtornos que uma empresa pode enfrentar ao contratar fornecedores para suprir suas necessidades de abastecimento, sejam elas de insumos, matéria-prima, serviços, mão de obra ou outras.

Portanto, o propósito por trás do gerenciamento de riscos da supply chain é evitar que a companhia tenha que resolver problemas — decorrentes da atuação de algum fornecedor — que comprometam seu funcionamento.

Quando alguma situação desse tipo acontece, o negócio fica exposto a diversas perdas, que  vão desde o comprometimento da imagem da marca, do relacionamento com clientes, passando por questões jurídicas, legais, fiscais e muitas outras que falaremos em detalhe mais adiante.

Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.

Qual a importância da gestão de riscos na cadeia de suprimentos?

Fazer uma boa gestão de riscos na cadeia de suprimentos é importante porque gera para o negócio proteção à sua atuação em diversos aspectos e, com isso, condições para crescer e expandir de forma mais concreta.

Além disso, esse tipo de gerenciamento traz para a companhia vantagens como:

  • entrega de produtos e/ou serviços com mais qualidade aos clientes;

  • aumento do nível de satisfação e melhora no relacionamento com os consumidores;

  • aprimoramento da relação entre empresa e investidores, podendo até torná-la mais atrativa para captação de investimentos;

  • garantia da capacidade produtiva e do atendimento às demandas de vendas;

  • melhora da imagem da marca, com a chance de conquistar mais espaço no mercado de atuação;

  • atendimento de todas as normas e leis vigentes, mantendo a empresa em total compliance.

Dica! Não deixe de ler este artigo: "Tipos de riscos de fornecedores que podem ser qualificados pela CNAE"

Quais são os principais riscos da cadeia de suprimentos?

São vários os riscos da cadeia de suprimentos. Entre os principais estão:

  • riscos econômicos;

  • riscos geográficos;

  • riscos de planejamento;

  • riscos de competição;

  • riscos de qualidade;

  • riscos de sustentabilidade.

Riscos econômicos

Uma das principais ameaças em uma cadeia de suprimentos, os riscos econômicos são aqueles que afetam a captação de receita e a rentabilidade da companhia. Por conta dessa característica, têm grande peso no crescimento do negócio.

Entretanto, há algumas origens dos riscos econômicos que fogem do controle dos gestores — por exemplo, aumento de índices inflacionários e do valor de impostos que fazem as empresas fornecedoras elevarem seus preços. Em contrapartida, com o aumento dos insumos e serviços, a margem de lucro tende a diminuir, impactando sua lucratividade.

Contudo,  isso não significa que você está indefeso contra esse problema. Com uma boa reserva de capital de giro é possível reduzir impactos negativos como aumento de impostos, inflação, flutuação de taxas de câmbio e até mesmo falência de fornecedores ou clientes.

Aproveite e leia também: "Como fazer uma gestão do capital de giro eficiente sem comprometer pagamentos?"

Riscos geográficos

Os riscos geográficos tendem a ser decorrentes de dois fatores. O primeiro diz respeito às adversidades provocadas por fatores climáticos, tais como tempestades, inundações e vendavais, que podem afetar negativamente a produtividade do fornecedor e, por consequência, o fluxo de entrega de matéria-prima ou serviço para sua empresa. 

O segundo é a localização da empresa fornecedora que, dependendo de onde está instalada, pode gerar atrasos na entrega dos insumos e, novamente, reflexo na dinâmica do seu negócio.

É certo que o primeiro risco não tem como ser evitado. O segundo, entretanto, pode ser mitigado ao contratar fornecedores que estão em regiões que não geram comprometimento sequência de abastecimento.

Riscos de planejamento

Esse é um dos riscos na supply chain que mais facilmente pode ser evitado em um negócio, pois demanda apenas melhorias no planejamento das ações, abordagens e estratégias.

Para diminuir os riscos de planejamento, sua empresa deve evitar tomar decisões antes de avaliar todos os pontos que as cercam. 

No que se refere especificamente à gestão de fornecedores, uma boa análise do perfil da empresa que pretende contratar é um dos critérios essenciais para um bom planejamento. É preciso verificar, por exemplo, a capacidade de entrega e a qualidade das soluções fornecidas por ela. 

Por conta disso, o processo de homologação de fornecedores é fundamental, pois, por meio desse processo, é possível verificar, por exemplo, se o fornecedor a ser contratado atende os compliances estabelecidos para que você possa ter mais segurança e confiança na parceria.

Ao ter essa segurança, pode planejar seu volume de produção em médio e longo prazo, fazer projeção de vendas e de crescimento, entre outras previsões relacionadas.

Esse é um dos processos, inclusive, no qual o uso da tecnologia na gestão de riscos na cadeia de suprimentos faz toda a diferença. 

Sistemas como o oferecido pela Linkana automatizam toda a gestão de fornecedores, aumentando a confiança e a segurança nas consultas públicas e emissão de certidões corporativas, evitando erros e fraudes.

Além disso, por meio de uma análise inteligente das informações e documentos privados compartilhados, sua empresa consegue mitigar riscos e aperfeiçoar rotinas de qualificação.

Riscos de competição

Não importa qual seja o ramo da sua empresa, você enfrentará concorrência. Sempre haverá outras companhias trabalhando com serviços e/ou produtos similares aos seus. Então, como lutar contra esse risco da supply chain?

O sugerido é manter a atenção ao que os concorrentes estão fazendo e quais resultados estão obtendo. Mas ao invés de tentar competir com eles, permaneça fiel à sua estratégia, usando essa comparação apenas como base de crescimento e ajustes na abordagem.

Nesse sentido, uma boa rede de abastecimento pode ser um importante diferencial. Afinal,  contar com fornecedores de qualidade, que mantenham a frequência de entrega de insumos e/ou serviços, diminui, consideravelmente, as chances de a sua empresa falhar em algum ponto

Com isso, seu negócio se torna mais competitivo e com potencial para conquistar mais espaço no mercado, se destacando dos concorrentes.

Leia também: "Conheça os 6 principais tipos de riscos corporativos e saiba como combatê-los"

Riscos de qualidade

Ninguém quer fazer negócios com uma empresa que não oferece produtos ou serviços de qualidade, não é mesmo? Portanto, a palavra “qualidade” deve ser uma constância no seu negócio, presente desde os itens que você comercializa, até mesmo no treinamento da mão de obra e transporte das mercadorias.

Por isso, utilizar um sistema de gestão da qualidade e realizar avaliações de desempenho das suas equipes e de seus fornecedores é interessante para trazer mais eficiência, e qualidade, à sua companhia.

Riscos de sustentabilidade

Os riscos de sustentabilidade na cadeia de suprimentos são todos os que potencializam ou causam diretamente danos ao meio ambiente e à vida e saúde das pessoas.

Dependendo do seu ramo de atuação, você pode até acreditar que esse tipo de ameaça seja algo distante, mas não se engane: esses riscos estão ganhando cada vez mais presentes e chamando a atenção do mundo inteiro. 

Por exemplo, se os processos adotados por sua empresa não tentam compensar a emissão de CO2 na atmosfera, é bem importante repensar esse comportamento, a fim de evitar represálias de órgãos governamentais que podem afetar seu negócio.

Companhias que têm um olhar voltado para o meio ambiente, não apenas estão ajudando o planeta Terra, como também são melhor vistas pelos consumidores, condição que tende a influenciar seus comportamentos de compras e, consequentemente, o rendimento da marca. 

Além disso, processos certificados podem gerar créditos de carbono, que você pode vender no mercado internacional.

Algumas causas que você pode implementar para incentivar a sustentabilidade na cadeia de suprimentos são:

  • economia e reaproveitamento de água;

  • programas de reciclagem;

  • reaproveitamento de matérias-primas descartadas;

  • uso consciente da energia elétrica e recursos naturais;

  • descarte correto de esgoto e outros resíduos;

  • implementação de projetos educacionais sobre a preservação do meio ambiente.

Veja abaixo um vídeo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que aborda o papel das empresas e a sustentabilidade:

https://youtu.be/_smXHMQPzxQ

Todavia, tenha em mente que de nada adianta sua companhia adotar esses princípios se os fornecedores contratados não seguirem a mesma premissa. 

Para que os riscos de sustentabilidade sejam realmente mitigados na sua supply chain, é essencial ter na sua base empresas fornecedoras que sigam a mesma linha de pensamento.

O artigo "Riscos ESG de fornecedores: quais os principais e como mitigá-los?" traz informações que ajudarão você a tratar adequadamente esse tema.

Qual a importância de realizar uma medição de desempenho na cadeia de suprimentos?

Cadeias de suprimentos são complexas, portanto, os riscos de falhas são reais e não devem ser ignorados. 

A gestão de supply chain existe justamente para ajudar a diminuir a quantidade de ameaças que podem ter que ser enfrentadas por um negócio.

Por meio desse gerenciamento também pode ser feita a medição de desempenho na cadeia de suprimentos, atividade que auxilia no aprimoramento de processos em áreas como estoque e transporte de produtos. 

Essa mensuração também contribui positivamente para processos de due diligence de fornecedores, garantindo a entrega de produtos diferenciados, com menor custo e nas condições estabelecidas.

Outras vantagens que sua empresa pode ter por uma boa gestão de riscos são:

  • garantir vendas;

  • manter a satisfação do cliente;

  • cumprir exigências regulamentares e de conformidade;

  • preservar uma boa imagem.

Como fazer o gerenciamento de riscos na cadeia de suprimentos?

Para chegar a resultados como esses, e às demais vantagens que citamos ao longo deste artigo, é preciso, primeiro, saber como fazer um bom gerenciamento de riscos de supply chain, concorda?

Se usarmos como base o Guia PMBOK®, Project Management Body of Knowledge, que é considerado um dos melhores direcionadores de práticas para gerenciamento de projetos e processos, as etapas as serem seguidas para mitigar riscos da sua cadeia de suprimentos são:

1. planejar o gerenciamento de riscos: consiste em definir as responsabilidades da atividade que será executada, bem com a metodologia para realização da gestão de riscos e quais informações serão usadas para essa fim;

2. identificar os riscos: nesta etapa, deve-se identificar todos os riscos inerentes ao seu negócio, provenientes da cadeia de abastecimento e do relacionamento com os fornecedores, visto que cada empresa está passível a ameaças distintas e é preciso pontuar quais são as suas;

3. realizar a análise qualitativa dos riscos: que é classificar e priorizar os riscos de acordo com a probabilidade de ocorrência e impacto que pode gerar para o negócio;

4. realizar a análise quantitativa dos riscos: avaliação numérica que ajuda a identificar, por exemplo, o reflexo financeiro dos riscos e, com base em informações desse tipo, embasar tomadas de decisão;

5. planejar as respostas aos riscos: definir estratégias que diminuam os riscos negativos (que são os que geram perdas) e que aumentem os riscos positivos identificados (aqueles que geram oportunidades para o negócio); 

6. monitorar e controlar os riscos: acompanhamento pontual e constante de toda a estratégia de mitigação de riscos, a fim de evitar que as ameaças aumentem e de identificar novas que surgem com o passar do tempo.

Quanto o uso da tecnologia na gestão de riscos na cadeia de suprimentos ajuda? 

O uso da tecnologia na gestão de riscos de supply chain é primordial para tornar esse processo automatizado e, por consequência, mais dinâmico, preciso e fácil de ser executado.

Utilizar uma fundação de dados compartilhados de fornecedores, por exemplo, ajuda a identificar mais rapidamente empresas fornecedoras qualificadas para atender seu negócio e, com isso, reduzir as ameaças características desse tipo de contratação.

Essa base de dados compartilhados de fornecedores é solução externa ao banco de dados das companhias que simplifica, qualifica e agiliza o acesso a várias informações de empresas fornecedoras.

A Linkana é a primeira fundação de dados de fornecedores compartilhada do Brasil. Nossa base de dados de perfis universais de fornecedores permite que compradores busquem, analisem e homologuem fornecedores em alguns cliques. 

Com isso, aceleramos radicalmente processos de onboarding, de análise e de monitoramento de fornecedores — graças aos dados dos fornecedores já preenchidos por eles ou por outra empresa —, permitindo o uso de dados e insights compartilhados entre as maiores corporações do nosso país.

Os diferenciais que você só encontra no nosso sistema de gestão de fornecedores são:

  • PERFIL UNIVERSAL DO FORNECEDOR → Com os perfis de fornecedores compartilhados da Linkana, dados e documentos de fornecedores são reaproveitados em rede, compartilhando informações atualizadas entre múltiplos compradores e acelerando processos de forma automatizada e sem burocracia.

  • MELHORES INSIGHTS → Nossos scores, ratings e certificações proprietários são construídos e compartilhados com a inteligência das maiores corporações do Brasil, garantindo aderência às melhores práticas e exigências de mercado.

  • PLUG N' PLAY →  Conecte seu sistema legado, ERP ou e-procurement com nossa fundação de dados de fornecedores, tornando-a sua fonte única de verdade, dinâmica e 100% integrada em questão de minutos.

Extra! Confira, neste vídeo exclusivo, o que Leo Cavalcanti, CEO e cofundador da Linkana disse sobre perfis de fornecedores certificados!

https://www.youtube.com/watch?v=JzgyPBzCH6E

Quer entender, em detalhes, como tudo isso funciona? Então preencha o formulário abaixo e entre em contato agora mesmo com um dos nossos especialistas!

Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market