Resources

ESG

ESG

ESG

Relatórios de sustentabilidade: passo a passo completo de como fazer!

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

October 19, 2023

October 19, 2023

October 19, 2023

Os relatórios de sustentabilidade são documentos que apontam os resultados que uma empresa obteve, em um determinado período, ao implementar práticas voltadas para o cumprimento de requisitos sustentáveis em suas atividades econômicas.  

Explicando de outro modo, trata-se de um mecanismo que as organizações sustentáveis usam para apresentar seus indicadores socioambientais e econômicos aos stakeholders.

Por conta disso, os relatórios de sustentabilidade servem como alicerce para que toda a empresa consiga atender às metas de desenvolvimento sustentável definidas, tanto para as equipes quanto para os fornecedores, parceiros de negócio e até clientes.

A partir de 2024, a Diretiva de Relatórios de Sustentabilidade Corporativa (CSRD) exigirá que todas as grandes companhias divulguem suas políticas e desempenho de sustentabilidade em relatórios. O objetivo é que os projetos bem elaborados possam servir de inspiração para outras corporações. 

Quer entender mais sobre esse tema? Então, siga a leitura deste artigo, pois mostraremos a importância desses relatórios, como desenvolvê-los, quais informações não podem faltar e muito mais!

O que são os relatórios de sustentabilidade?

Relatórios de sustentabilidade são ferramentas usadas por empresas para relatar as práticas sustentáveis adotadas e os resultados obtidos. Em geral, esse é um instrumento de comunicação e gerenciamento que serve para prestar contas à sociedade e aos demais interessados no funcionamento do negócio, como investidores, clientes e parceiros.

Por meio do relatório, a companhia divulga as interferências socioambientais provocadas pelo impacto das suas atividades, bem como os motivos que levaram a implementar uma ou outra ação.

Um exemplo de sustentabilidade, geralmente incluído nesses documentos, é a reciclagem de resíduos. Nesse caso, a companhia autora do documento relata como coleta os resíduos recicláveis e os destina para o processo de reciclagem.

Outro exemplo é a implementação de um sistema de logística reversa, processo que faz retornar a mercadoria para o fabricante. Isso envolve todas as operações ligadas à área de logística, como o fluxo de produtos, embalagens e outros materiais, partindo do ponto de consumo ao local de origem.

Qual é a funcionalidade dos relatórios de sustentabilidade?

Os relatórios de sustentabilidade obrigatórios têm como premissa:

  • aplicar estratégias focadas no futuro, com base em informações concretas sobre os efeitos das operações empresariais, inclusive no que tange às alterações climáticas;

  • fortalecer o diálogo entre os acionistas e integrantes da empresa;

  • identificar os riscos e as oportunidades ligados à sustentabilidade;

  • fomentar os hábitos sustentáveis, tanto para os integrantes da empresa quanto para a sociedade em geral;

  • ajudar o governo a tomar decisões assertivas rumo ao desenvolvimento sustentável.

A quem se aplica os relatórios de sustentabilidade? 

A CSRD, já citada neste artigo, é uma extensão da diretiva europeia existente sobre os relatórios de sustentabilidade. Ela induz que empresas de interesse público, incluindo bancos, seguradoras e de capital aberto, com mais de 500 funcionários, divulguem suas ações de responsabilidade social, direitos humanos e diversidade.

Os critérios exigidos pela CSRD para as entidades são os seguintes:

  • receitas acima de 40 milhões de euros;

  • mais de 20 milhões de euros no balanço patrimonial;

  • mais de 250 funcionários.

Essas obrigações da CSRD serão aplicadas para, no mínimo, 50 mil empresas que funcionam na Europa.

E, além das normas da CSRD, existem outros modelos de relatórios de sustentabilidade que podem ser seguidos. Por exemplo, devido à credibilidade, no cenário atual, o relatório GRI, Global Reporting Initiative, é um dos mais conhecidos.

GRI é uma organização internacional que ajuda as empresas a descrever seus impactos socioambientais. Esse modelo de relatório segue diretrizes que facilitam o acesso às informações relevantes e padronizadas, de modo que as companhias podem facilmente avaliar as oportunidades e os riscos.

Entenda mais sobre esse relatório conferindo o artigo: "Relatórios GRI: por que são relevantes para quem adota as práticas de sustentabilidade?"

O que é o Relatório de Brundtland? 

Desenvolvido pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, o Relatório de Brundtland aponta a incompatibilidade entre o desenvolvimento sustentável e os hábitos de consumo, tornando-se um ponto de reflexão sobre a relação entre o homem e o meio ambiente.

Criado em 1987, na época, o documento tratou de questões importantes, como o aquecimento global e a destruição da camada de ozônio, assuntos ainda preocupantes nos dias de hoje.

Entre algumas medidas apontadas pelo relatório, destacam-se:

  • redução do consumo de energia;

  • limitação do crescimento populacional;

  • garantia de recursos básicos (água, alimentos e energia) em longo prazo;

  • preservação da biodiversidade e dos ecossistemas.


Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.


Qual a importância dos relatórios de sustentabilidade?

Os relatórios de sustentabilidade são importantes por inúmeros motivos. Entre os principais, estão:

  • identificar, mensurar e divulgar os resultados das ações sustentáveis da companhia, melhorando a imagem da marca e o relacionamento com os stakeholders;

  • verificar quais riscos relacionados à sustentabilidade ainda não foram abordados, assim como quais as oportunidades ainda podem ser exploradas;

  • formar uma base que contribui para desenvolvimento de estratégias mais sustentáveis, com o objetivo de melhorar o futuro não só da empresa, mas da sociedade e do planeta;

  • sensibilizar os consumidores e a sociedade, contribuindo para a construção de um ecossistema mais consciente quanto às questões socioambientais;

  • melhorar o diálogo com os acionistas, investidores e demais agentes que favorecem o crescimento da empresa.

Não deixe de ler este artigo: "Sustentabilidade na cadeia de suprimentos: 5 dicas de implementação"

Como fazer um relatório de sustentabilidade? 2 passos principais!

Saber o que deve conter em um relatório de sustentabilidade é o primeiro passo para elaborar esse documento. No caso, é fundamental que ele inclua:

  • informações sobre a empresa: porte, ramo de atuação, missão, valores, soluções oferecidas (produtos/serviços) e outras particularidades que descrevem a companhia;

  • explicação sobre a gestão de riscos: ameaças socioambientais e de governança que a empresa gera ou tem que enfrentar, além das oportunidades relacionadas à sustentabilidade que foram aproveitadas no período de análise;

  • apresentação de como é feita a comunicação aos interessados: canais usados para divulgar os resultados sustentáveis alcançados aos clientes, investidores, parceiros de negócio e outros agentes relacionados.

Segundo passo de como fazer um relatório de sustentabilidade 

Com esse levantamento feito, o passo seguinte consiste em elaborar o documento, propriamente dito. Para isso, algumas boas práticas em relatórios de sustentabilidade são:

  • defina o objetivo do documento: a fim de que as informações apresentadas sejam voltadas para o atendimento dessa meta — por exemplo, manter a empresa em compliance com as leis ambientais ou garantir certificações da mesma natureza;

  • construa a estrutura do relatório: isso garantirá que nenhum dado seja esquecido, bem como facilitará a visualização e compreensão do documento;

  • utilize uma linguagem compatível com o modelo de negócio e perfil dos interessados: essa é uma forma de contribuir para o claro entendimento do que está descrito no documento;

  • use indicadores que ajudem a mensurar os resultados: os KPIs são as melhores ferramentas para apurar dados como esses, a exemplo dos indicadores ESG;

  • inclua a alta direção no processo de elaboração do relatório: o suporte e apoio à divulgação, vindos desses agentes, faz toda a diferença na credibilidade do documento e nas condutas adotadas pela companhia;

  • revise todas as informações apresentadas: redobre a atenção para evitar divulgações equivocadas, ainda que não intencionais, visando não comprometer a imagem e reputação da empresa;

  • contrate os serviços de uma auditoria independente: essa postura atribui muito mais confiabilidade e transparência às informações que estão sendo divulgadas no relatório.

Este artigo também ajudará você. Não deixe de conferir! "Comitê de auditoria: o que é, como funciona e como implantar?"

Como analisar um relatório de sustentabilidade?

Em primeiro lugar, esse tipo de documento deve seguir a estrutura global das normas impostas pela GRI, organização que produz um dos maiores padrões de relatórios de sustentabilidade no mundo.

Na maioria dos casos, é necessária a validação do relatório por um auditor independente e a divulgação do documento em formato eletrônico.

Espera-se que, no relatório, a empresa siga determinados requisitos que contribuam para um modelo de vida mais sustentável, contendo, por exemplo:

  • divulgação anual sobre questões como:

  • ambientais;

  • sociais;

  • trabalhistas;

  • de diversidade na diretoria da empresa;

  • de respeito aos direitos humanos;

  • ações anticorrupção;

  • questões de suborno;

  • estratégias;

  • governança;

  • políticas;

  • processos;

  • sistemas;

  • KPIs;

  • impactos financeiros relacionados à sustentabilidade;

  • reflexo na vida das pessoas;

  • informações sobre objetivos de sustentabilidade a longo prazo.

Dica de leitura: "5 boas práticas de governança corporativa"

Por que as empresas devem gerar relatórios de sustentabilidade? 

Como você pôde ver, os relatórios de sustentabilidade são documentos que permitem às empresas apresentarem os resultados de suas ações e práticas sustentáveis. Com isso, elevam as chances de melhorar o relacionamento com os clientes, chamar a atenção de investidores, aprimorar a imagem da marca e muito mais.

Porém, não basta a companhia tomar medidas em favor desse tema. Todos os agentes que atuam na construção e no crescimento do negócio precisam estar alinhados às boas condutas sustentáveis para que os resultados sejam reais. E isso inclui os fornecedores.

Por esse motivo, uma gestão de fornecedores eficiente precisa mensurar o nível de comprometimento desses parceiros quanto às questões de sustentabilidade. 

Considerando que as cadeias de suprimentos estão mais robustas e complexas, a maneira mais simples, rápida, precisa e dinâmica de fazer essa análise é utilizando a tecnologia a favor. Aliás, soluções como o Linkana ESG Rating são ideias para essa atividade.

Veja uma prévia sobre como funciona a ferramenta neste vídeo com Leo Cavalcanti, CEO e cofundador da Linkana.

https://youtu.be/T1DmQi-JmKQ?si=g6sxVujqDxMu1C4B

O que é o Linkana ESG Rating?

O Linkana ESG Rating é a solução para análise de riscos de indicadores ESG, realizada por meio de pontuações atribuídas aos critérios ambiental, social e de governança que se baseiam em dados públicos e documentos apresentados pelos próprios fornecedores.

Essa ferramenta deixa o processo de gestão e análise de riscos socioambientais e de governança de fornecedores muito mais simples, prático e rápido de ser realizado.

Além disso, a pontuação atribuída envolve não só as informações da empresa fornecedora, mas também dos sócios, administradores e outras partes relacionadas ao negócio.

Por fim, quanto maior a pontuação em cada pilar, melhor a reputação e menor o risco em fatores ESG de trabalhar com aquele fornecedor.

O que mais a Linkana oferece para sua empresa?

A Linkana é a primeira fundação de dados de fornecedores compartilhada do Brasil. Nossa base de dados de perfis universais de fornecedores possibilita que compradores avaliem e homologuem fornecedores em alguns cliques. 

Com isso, aceleramos radicalmente os processos de onboarding, análise e monitoramento de fornecedores, permitindo o uso de dados e insights compartilhados entre as maiores corporações do país.

Nosso sistema ajuda você e seu time de compras e procurement a tomar decisões de fornecimento assim como fazem as maiores corporações do Brasil, contando com os Perfis Universais de Fornecedores e o Linkana Supplier Rating, que fornece informações padronizadas de cadastro, risco, ESG e diversidade e inclusão (D&I).

Em comparação a outros softwares de gestão de fornecedores disponíveis no mercado, os diferenciais da Linkana estão listados a seguir.

  • PERFIL UNIVERSAL DO FORNECEDOR → Com os perfis de fornecedores compartilhados da Linkana, dados e documentos de fornecedores são reaproveitados em rede, compartilhando informações atualizadas entre múltiplos compradores e acelerando processos de forma automatizada e sem burocracia.

  • MELHORES INSIGHTS → Nossos scores, ratings e certificações proprietários são construídos e compartilhados com a inteligência das maiores corporações do Brasil, garantindo aderência às melhores práticas e exigências de mercado.

  • PLUG N' PLAY →  Conecte seu sistema legado, ERP ou e-procurement com nossa fundação de dados de fornecedores, tornando-a sua fonte única de verdade, dinâmica e 100% integrada, em questão de minutos.

Que tal conhecer mais sobre o Linkana ESG Rating e como essa ferramenta pode ajudar sua empresa a manter bons resultados em relatórios de sustentabilidade, a partir da verificação correta de fornecedores? Basta preencher agora mesmo o formulário abaixo!


Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market