5 boas práticas de governança corporativa para implementar já!

A valorização de uma empresa passou por significativas mudanças na última década e para os próximos anos se tornou uma obrigação adotar boas práticas de governança corporativa, atendendo assim a expectativa do mercado e seguindo a tendência de valorização do ESG Framework.

Pesquisas apontam que 9 em cada 10 empresas abertas atribuem aos investimentos em governança o amadurecimento da organização, principalmente entre as melhorias no campo da prestação de contas e apresentação de relatórios.

Isso significa que a evolução natural de uma organização junto ao mercado pode ser acelerada ou desacelerada, de acordo com vários fatores diferentes, entre os quais se destacam as medidas relacionadas aos princípios da governança ou a ausência delas.

Para mostrar como sua empresa pode ter acesso aos benefícios da governança corporativa, destacamos 5 práticas para implementar imediatamente na sua estratégia. Gostou da ideia? Então continue lendo!

O que é governança corporativa?

Definimos governança corporativa como um conjunto de mecanismos que uma organização pode adotar para direcionar sua conduta em paralelo com as normas regulativas e expectativas de mercado no contexto de uma cultura ética e responsável.

Para isso, é essencial promover medidas de adequação, prestação de contas e responsabilidade ao longo de toda estrutura corporativa, ou seja, impactando do mais alto ao mais baixo nível hierárquico, chegando também aos stakeholders internos e externos.

Entenda melhor o que é a governança corporativa no vídeo a seguir:

Toda essa estratégia se apoia nos 4 princípios da governança corporativa, que são:

  • Transparência: relativo a capacidade comunicativa de uma empresa, que deve ser clara ao explicar a respeito das diretrizes operacionais para os seus stakeholders;
  • Equidade: diz respeito a um nivelamento igualitário das atribuições, opiniões, responsabilidades e cobranças realizadas a todos os stakeholders quanto às medidas de governança;
  • Accountability: capacidade de prestar contas ao mercado e demais stakeholders de maneira clara, confiável e eficiente;
  • Responsabilidade: ato de assumir o compromisso de que a organização terá como meta uma operação mais sustentável, eficiente e responsável.

De modo geral, é importante entender que as metas de governança estão em constante evolução, sendo essencial ficar atento às novas realidades do mercado e regras implementadas pelos órgãos regulatórios.

Além disso, é relevante destacar que o papel da governança nos indicadores ESG. Nesse contexto, ela serve como um passo primordial para consolidar a empresa e a partir desse momento desenvolver as medidas de sustentabilidade e responsabilidade social.

Como implementar uma estratégia de governança corporativa?

Dependendo da maturidade da organização em relação a essa estratégia, é possível que as melhores práticas de governança corporativa sejam desenvolvidas internamente ou criadas com apoio de um conselho consultivo externo. 

A partir disso, a implantação da governança corporativa pode ser realizada em 6 etapas principais:

  1. Estruturação hierárquica: a hierarquia da empresa necessita de consolidação, ou seja, é essencial definir responsabilidades sobre gestão, tomada de decisões e monitoramento das áreas internas para garantir uma estrutura clara e confiável;
  2. Conselho Administrativo: a atuação do CA deve ser independente da cúpula e tem o propósito de desenvolver, avaliar os resultados e propor melhorias aos fatores que geram valor para a empresa;
  3. Criação do código de conduta: é essencial contar com um código de conduta claro e conhecido por todos, definindo os princípios éticos que guiam a empresa e como isso se reflete na operação de rotina;
  4. Fortalecimento de lideranças: o papel dos gestores em estimular a cultura de governança é muito importante, por isso, é essencial capacitar as lideranças internas para que eles possam difundir essa proposta em suas áreas;
  5. Adoção de práticas transparentes: a transparência merece destaque, não só na prestação de contas da empresa mas também na busca por fornecedores e parceiros responsáveis, que atuam em acordo com tais medidas;
  6. Comprovação e evolução: fechando as etapas temos a comprovação de resultados, que deve assegurar a confiabilidade dos dados reportados, e o planejamento de evolução, que avalia a eficiência do projeto de governança e propõe melhorias futuras.

Temos uma postagem dedicada a explicar detalhadamente essas etapas, não deixe de conferir: Como implantar governança corporativa nas empresas: 6 etapas essenciais

5 boas práticas de governança corporativa

Agora que já são conhecidos os princípios da governança corporativa e o modelo básico para sua implantação, é hora de conhecer as 5 boas práticas que não podem faltar nas ações da sua empresa no contexto do ESG.

1. Qualificação e fortalecimento desde o topo

Uma boa forma de garantir o sucesso de uma estratégia de governança está na qualificação da diretoria da empresa quanto aos seus princípios. Formar conselheiros e gestores com especialização nesse conceito irá facilitar a adoção dessas práticas.

Para isso, é essencial avaliar o perfil dos diretores e definir seus pontos fortes e fracos. Também é válido identificar características que merecem prioridade, facilitando a busca por novos candidatos no futuro.

2. Priorização da ética e integridade

Ações éticas e íntegras são um pré-requisito para estratégias bem-sucedidas. Nesse caso, é importante assegurar uma política contra conflitos de interesses, sistemas de controle de dados, código de conduta interno e política comercial externa.

Vale destacar ainda que todas essas medidas devem ser supervisionadas por uma pessoa ou área independente.

3. Cultura de compliance

O compliance é uma ferramenta da governança, ligado a conhecer a legislação vigente e assegurar que a conduta adotada está em conformidade com tais regras e normas. 

Essa é uma importante vertente da cultura corporativa, que deve participar da operação interna e é fator decisivo para homologação de fornecedores e prestadores de serviços terceirizados.

4. Foco na transparência

A coleta de dados e a transmissão de informações merece total atenção. Colaboradores, fornecedores, acionistas e demais stakeholders precisam ter acesso à informações pertinentes que comprovam os resultados e ações implementadas pela gestão.

Essa comunicação deve ter um fluxo contínuo e facilitado, mantendo uma conduta transparente e assertiva a longo prazo.

5. Gestão de riscos

Obter conhecimento e implementar medidas preventivas e reativas quanto aos riscos de um negócio são essenciais para assegurar a governança corporativa. Riscos financeiros, reputacionais, operacionais, fiscais e/ou ambientais devem fazer parte dessa análise.

A partir dessa compreensão, é necessário planejar a mitigação de riscos e assim proteger a integridade e saúde da organização, tanto para atingir suas próprias metas quanto entregar a recompensa prometida aos investidores, parceiros e consumidores.

Benefícios da governança corporativa para empresas

O que se espera alcançar ao implementar essas práticas? A resposta a essa pergunta está na lista de benefícios da governança corporativa. Confira:

  • valorização dos ativos da empresa;
  • aumento da integridade corporativa;
  • amplo controle dos riscos de mercado;
  • estímulo a longevidade corporativa;
  • aumento do retorno financeiro;
  • decisões estratégicas mais assertivas;
  • maior capacidade preventiva e reativa a mudanças no mercado;
  • aumento do employer branding;
  • redução de custos;
  • maior confiabilidade junto ao mercado;
  • maior eficiência de gestão.

Observando essa lista podemos concluir que as boas práticas de governança corporativa tornam sua empresa em uma instituição mais preparada e empenhada para lidar com as expectativas e exigências do mercado.

Além disso, elas estimulam parceiros comerciais a adotarem medidas similares, promovendo uma valorização que supera os limites da sua organização e beneficia todos ao seu redor.

Inteligência e tecnologia para otimizar suas estratégias

Agora que você já conhece as boas práticas da governança corporativa, lembre-se que esses princípios devem constar também nas organizações com as quais você negocia, colocando a gestão de fornecedores em foco.

Para lidar com esse desafio, nada melhor que ter ajuda da tecnologia da Linkana, uma plataforma completa para qualificar e monitorar potenciais parceiros comerciais e selecionar somente aqueles que atendem às suas exigências de compliance.

Quer obter dados sólidos sobre possíveis fornecedores antes mesmo de entrar em contato com eles? Então conte com nossa consulta pública automatizada para obter um diagnóstico de CNPJ. Faça uma demonstração gratuita do software agora mesmo, basta preencher o formulário para agendarmos uma reunião.

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.
logo linkana

Ferramenta

Consulta de CNPJ

Encontre o CNPJ e mais 10 outros dados de fornecedores em segundos.

logo linkana

Podcast

Procurement Hero

Líderes e referências do mercado de procurement batem um papo sobre tecnologia, dados e tendências.

logo linkana

Ebook

Gestão de Fornecedores

Descubra como fazer um gestão de fornecedores inteligente e guiada por dados na sua empresa!