Sustentabilidade na cadeia de suprimentos: 5 boas práticas

Não quer ler esse texto? Você pode ouvir todo o conteúdo clicando no player abaixo ⬇️

As empresas estão sob uma lupa cada vez maior dos investidores, clientes e da sociedade como um todo.

A exigência de modelos mais humanitários, eficientes e sustentáveis transformaram a competição do mercado em algo ainda maior: não basta apenas oferecer o melhor produto no menor preço, o consumidor espera que a compra dele tenha algum impacto positivo na sociedade.

Portanto, processos em toda a empresa devem ser revistos para até mesmo aprimorar o Compliance reputacional. A sustentabilidade na cadeia de suprimentos, por exemplo, é uma realidade que pode fazer parte do seu negócio!

Quer saber como? Veja neste artigo 5 boas práticas de sustentabilidade que podem otimizar processos na cadeia de suprimentos e aproximar sua empresa da sociedade.

Sustentabilidade na cadeia de suprimentos: por que não é comum?

Apesar de ser algo que muitos desejam, são poucos os que realmente implantam a sustentabilidade e a ética na cadeia de suprimentos. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade Stanford, na Califórnia, a implantação desse processo por toda a cadeia não é tão fácil quanto se imagina.

Apesar de mais da metade (52%) das 449 empresas listadas publicamente nos setores de alimentação, têxtil e madeireiro aplicarem alguma prática de sustentabilidade na cadeia de suprimentos, ele é algo mínimo quando olhamos para todo o processo.

De acordo com a pesquisa, mais de 70% do fornecimento de produtos considerados sustentáveis representam apenas um dos conjuntos de materiais utilizados. Um exemplo citado é apenas o uso de embalagens recicladas em toda a cadeia de suprimentos.

Também foram encontrados casos, por exemplo, de empresas que aplicam a apenas uma linha de produtos práticas sustentáveis e se “aproveita” da certificação de comércio justo, divulgando-a de forma errônea.

Porém, se olharmos para os dados de um ponto de vista otimista, as empresas estão mais abertas em escutar os pedidos dos consumidores, buscando adotar pelo menos uma prática de fornecimento sustentável – que já é um primeiro passo na direção correta.

Como implantar sustentabilidade na cadeia de suprimentos?

Nós falamos acima que uma simples mudança na cadeia de suprimentos já é um primeiro passo na direção correta, mas a verdade é que são vários pontos que podem ser olhados para garantir a sustentabilidade em uma cadeia de suprimentos 4.0.

Sua cadeia de suprimentos pode ter mais eficiência e segurança enquanto, simultaneamente, oferece um produto mais ético aos consumidores finais. 

Informe-se sobre licenças ambientais

São vários os documentos que você pede a um fornecedor, seja para iniciar uma parceria ou para manter a confiança na relação – e sua empresa não só pode, como deve, pedir documentações que abordem questões ambientais.

Este controle é mais específico e varia de acordo com o tipo de atividade a ser desempenhado pelo fornecedor. 

As atividades relacionadas ao uso de recursos naturais, por exemplo, exigem que os fornecedores tenham licenças ambientais diversas ou autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

E para manter todas essas documentações em dia e mitigar os riscos desse relacionamento, sua empresa pode usar tecnologias que fazem parte de uma cadeia de suprimentos 4.0, como a Linkana.

Com os nossos robôs, que automatizam todo o processo de Compliance e governança de fornecedores, as certidões são renovadas automaticamente, aprimorando processos e permitindo que sua equipe de Procurement foque seu tempo e planejamento em outros aspectos da relação fornecedor-contratante.

Também vale falar que todos os documentos e informações levantadas durante os processos de homologação e qualificação de fornecedores são armazenados no Google Cloud Platform, um ambiente não só seguro e acessível de qualquer lugar por qualquer usuário de sua organização, como também sustentável, pois diminui a quantidade de “papelada” necessária.

Descubra se seu fornecedor possui a Certificação ISO 14001

A Certificação ISO 14001 também pode ajudar a sua empresa a saber se o fornecedor está em dia com sua responsabilidade social ou se possui algum problema ou irregularidade que pode levar o seu negócio a ser responsabilizado por danos, prejuízos ou infrações que ocorrerem durante a execução do contrato.

Essa certificação tem como principal objetivo possibilitar que as organizações atendam às suas necessidades socioeconômicas em equilíbrio com a proteção do meio ambiente, mitigando possíveis riscos nas condições ambientais na organização.

Nessa série de normas de padrões ambientais são abordados temas como: 

  • Sistemas de gestão ambiental
  • Rotulagem ambiental
  • Auditorias ambientais
  • Análise do ciclo de vida
  • Comunicação ambiental
  • Desempenho ambiental
  • Aspectos ambientais
  • Terminologia

Conheça os processos sustentáveis do fornecedor

Outro aspecto que deve ser observado para garantir a sustentabilidade na cadeia de suprimentos são os processos implantados na rotina desse fornecedor. Algumas medidas que você deve buscar observar dentro de um parceiro são:

  • Gerenciamento dos resíduos sólidos e líquidos: a gestão adequada destes resíduos permite um maior controle dos impactos ambientais, prevenindo a poluição do solo, ar e/ou água.
  • Transporte de produtos: como é feita a produção dos insumos e a distribuição deles? Existe alguma otimização da entrega de insumos com um Sistema de Gestão de Transportes? A distância e distribuição dessas entregas determina o consumo de combustíveis fósseis, portanto, garantir parceria que otimiza esse processo ajuda a diminuir o impacto ambiental.
  • Redução do Consumo de Recursos Naturais: é sugerida a adoção de programas ambientais que buscam reduzir o consumo de recursos naturais, otimizando processos de produção.
  • Responsabilidade Social Empresarial: consulte se o fornecedor possui um perfil de RSE e, se sim, como são abordados assuntos relacionados ao meio-ambiente. A RSE é a tradução e incorporação dos valores e compromissos das empresas dentro do negócio, portanto, é um bom mapa dos objetivos sociais do fornecedor.

Não se esqueça que sustentabilidade é mais que meio-ambiente

Trabalho infantil. Mão-de-obra escrava. Jornadas excessivas de trabalho que oferecem condições precárias de higiene e alimentação.

A questão social também é de extrema importância ao avaliar um fornecedor sustentável – e pode ter um grande impacto no seu Compliance reputacional. Existem listas como a “lista suja”, que trazem os nomes de empresas que já foram autuadas por explorações como essas que sua empresa deve consultar se deseja ter mais segurança com os parceiros.

No vídeo abaixo você pode ver outras maneiras de trabalhar a sustentabilidade na cadeia de suprimentos:

É possível ter sustentabilidade na cadeia de suprimentos!

A sustentabilidade na cadeia de suprimentos vêm se tornando prioridade em muitas instituições – e não tem porquê não entrar na mira da sua. 

Investimentos em iniciativas que diminuem as emissões de gás carbono, reduzem o desperdício e tornam a Terra um lugar melhor trazem apenas benefícios para todos os envolvidos.

Esses são apenas alguns dos passos que você pode tomar na direção certa. Por menor que seja a mudança, inicie essa jornada e, através da medição de desempenho na cadeia de suprimentos, comprove o resultado que ele traz para seu negócio.

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.