Resources

ESG

ESG

ESG

CSRD: o que é e qual o objetivo desse relatório?

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

August 26, 2022

August 26, 2022

August 26, 2022

CSRD é a sigla para Corporate Sustainability Reporting Directive que, em português, significa Diretriz de Relatório de Sustentabilidade Corporativa. Trata-se de um relatório de sustentabilidade que será obrigatório para as empresas europeias a partir de 2024.

A ideia é que as companhias forneçam informações de maneira mais clara e transparente no que se refere às práticas de sustentabilidade adotadas.

Mas por quais motivos uma diretriz europeia pode ser interessante para os negócios brasileiros? Para responder a essa questão, podemos fazer uma comparação com as normas da família ISO, a exemplo da ISO 9001 e da ISO 14001.

Ainda que não sejam certificações obrigatórias, costumam ser vistas como importantes diferenciais competitivos que atestam o comprometimento da empresa em diferentes temas

No que diz respeito à busca por fornecedores sustentáveis, encontrar terceiros que cumprem diretrizes internacionais, e são reconhecidos por isso, tende a ser uma garantia a mais de contratação de um bom serviço/produto.

Mesmo para a sua companhia, o atendimento de diretrizes como o Relatório de Sustentabilidade Corporativa, é uma excelente maneira de apresentar a parceiros de negócio, investidores, consumidores e demais stakeholders o compromisso e a responsabilidade que tem com questões ambientais, sociais, econômicas, entre outras.

Por motivos como esses, confira agora, neste artigo, o que é CSRD, quais são os requisitos desse relatório, a quais negócios se aplicam, entre outras orientações sobre o tema.

O que é CSRD?

Corporate Sustainability Reporting Directive, ou apenas CSRD, é um relatório obrigatório por meio do qual as empresas deverão apresentar dados e informações sobre o impacto ambiental e social que suas atividades econômicas causam, bem como sobre informações não financeiras

A proposta da Diretriz de Relatório de Sustentabilidade Corporativa foi apresentada pela Comissão Europeia em abril de 2021, e objetiva que, a partir de 2024, todas cumpram o determinado.

É interessante destacar que a emissão desse relatório vai ao encontro do determinado no acordo climático de Paris, e também do Green Deal da União Europeia (acordo verde). 

O objetivo da Corporate Sustainability Reporting Directive é elevar o nível da qualidade das informações prestadas pelas companhias quanto às práticas adotadas em prol da sustentabilidade.

Esse relatório também intenciona garantir mais transparência ao que é apresentado pelas organizações quanto a esse tema, o que ajuda no apoio à adoção de uma economia sustentável.

Aproveite e leia este artigo: "ESG: como aplicar a prática sustentável com responsabilidade nas empresas?"



Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.



A quem se aplica a CSRD?

Para explicarmos a quais modelos empresariais a CSRD é aplicável precisamos, primeiro, destacar que essa diretriz é uma extensão da Non-Financial Reporting Directive (NFRD), que é uma diretiva europeia também voltada para a emissão de relatórios de sustentabilidade.

A Non-Financial Reporting Directive, válida desde 2018, é aplicável a companhias de interesse público, por exemplo, empresas de capital aberto e bancos, que detenham em seu quadro mais de 500 funcionários.

O objetivo da NFRD é que as organizações apresentem seus dados sobre direitos humanos, diversidade, responsabilidade social e poluição ambiental.

A Corporate Sustainability Reporting Directive, por sua vez, é considerada uma extensão da diretriz anterior, pois, além de considerar as mesmas empresas, inclui outras de grande porte que atendam ao menos dois destes três critérios:

  • ter receita superior a 40 milhões de euros;

  • contar com mais de 250 funcionários no seu quadro;

  • ter um balanço patrimonial superior a 20 milhões de euros.


Mas ainda que haja essa definição sobre quais negócios têm a obrigação de atender a Diretriz de Relatório de Sustentabilidade Corporativa, a tendência é que diversos outros busquem cumprir essa determinação. 

Os motivos são os que citamos logo no início deste artigo, ou seja, ter outras bases de comprovação para clientes, investidores e parceiros quanto ao compromisso ambiental e social assumido pela marca.

Não deixe de ler este artigo: "Como verificar se os fornecedores têm um selo de sustentabilidade? Aprenda na prática

Quais são os requisitos desse relatório?

Considerando que a aplicabilidade dessa diretriz está prevista para 2024, alguns dos seus requisitos ainda estão em fase de definição.

No entanto, há alguns apontamentos sobre quais critérios deverão ser atendidos, tais como a divulgação anual sobre os resultados de práticas voltadas para questões:

  • ambientais;

  • sociais;

  • trabalhistas;

  • de suborno;

  • anticorrupção;

  • de direitos humanos;

  • de diversidade na diretoria.


Possivelmente, será preciso relatar também informações sobre como os resultados em questão foram alcançados, por exemplo:


Segundo essa lista, também é possível que sejam solicitadas informações sobre:

  • impactos financeiros decorrentes de oportunidades e/ou riscos relacionados à sustentabilidade, tais como falta de matéria-prima e condições climáticas que causaram interrupção na fabricação de produtos ou entrega de serviços;

  • impactos no meio ambiente e na vida das pessoas, por exemplo, violação dos direitos humanos e comprometimento do ecossistema;

  • informações sobre metas de sustentabilidade em longo prazo;

  • comparativo ao atendimento de outros regulamentos europeus.





Como se adequar à CSRD?

Uma das melhores formas de se adequar e se preparar para a CSRD é conhecer mais a fundo as exigências dessa diretriz. Com base nisso, deve-se criar estratégias voltadas para governança de sustentabilidade que ajudem a atender às determinações obrigatórias.

Nesse cenário, é comum que a empresa se depare com lacunas entre o que a Corporate Sustainability Reporting Directive exige e o que está sendo entregue no momento.

Ainda que isso possa parecer um obstáculo, essa identificação pode ser vista como a possibilidade de melhorar os processos, até então adotados, para questões ambientais e sociais. 

Essa oportunidade de melhoria contribui para trazer mais valor para o negócio, assim como alinhá-lo ao esperado pelas pessoas e outras empresas envolvidas em suas atividades econômicas.

Para ajustar todos esses pontos, é bem provável que os gestores precisarão definir e implementar políticas e sistemas próprios para o atendimento dos requisitos das diretrizes, bem como metas e KPIs que ajudem a mensurar os resultados obtidos.

Achou este tema interessante? Então aproveite que está aqui, no blog da Linkana — software para gestão de fornecedores —, e confira este artigo "9 exemplos de sustentabilidade corporativa para sua empresa observar ao escolher fornecedores"



Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market