Resources

Gestão de riscos

Gestão de riscos

Gestão de riscos

Como elaborar um mapa de risco de segurança do trabalho legítimo?

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

January 24, 2022

January 24, 2022

January 24, 2022

A saúde e integridade dos colaboradores de uma empresa são essenciais para a manutenção da sua credibilidade e o bom funcionamento das atividades essenciais. Para isso, é fundamental adotar um mapa de risco de segurança do trabalho.

Essa ferramenta vai auxiliar a detectar e prevenir os principais riscos do ambiente de trabalho, além de garantir que a organização esteja cumprindo as normas trabalhistas.

Por isso, é importante que tanto a sua empresa quanto os seus fornecedores tenham um mapa de riscos de segurança do trabalho atualizado e que atuem para prevenir acidentes.

Apenas em 2020, um levantamento do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho apontou que  houve mais de 440 mil acidentes de trabalho no Brasil que culminaram em 1.866 mortes. Ou seja, a relevância da segurança e da prevenção de riscos trabalhistas tem se tornado cada dia mais fundamental.

Confira o que é um mapa de risco de segurança do trabalho e aprenda a  elaborar um. 

O que é um mapa de risco de segurança do trabalho?

Um mapa de risco de segurança do trabalho é uma representação gráfica, por meio de planta baixa ou croqui, dos setores da sua empresa contendo círculos com cores que identificam os principais riscos de cada unidade. 

Ele é um documento obrigatório para todas as companhias  que contam com algum tipo de grau de risco. Isso foi determinado pelo Ministério do Trabalho e Emprego e pela Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho (MTE). 

As organizações que não cumprem com a sua elaboração correm o risco de serem multadas por inadequação às normas trabalhistas vigentes, especificamente a NR1 e a NR5, que regulamentam o gerenciamento de riscos ocupacionais e a comissão interna de prevenção de acidentes (CIPA), respectivamente. 

Os principais objetivos do mapa de risco de segurança do trabalho, de acordo com o MTE, são: 

  1. reunir as principais informações que são necessárias para diagnosticar a situação de segurança e saúde no trabalho;

  2. reconhecer os riscos nos ambientes de trabalho;

  3. possibilitar a troca de informações entre trabalhadores durante a elaboração do mapa;

  4. estimular a participação dos funcionários em atividades de prevenção;

  5. proteger os colaboradores contra riscos profissionais.

Como elaborar um mapa de risco de segurança do trabalho? 5 passos 

Toda empresa que precisa elaborar um mapa de risco de segurança do trabalho deve fazê-lo a partir de três grupos:

  1. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA);

  2. Serviço  Especializado  em  Engenharia  de  Segurança  e Medicina  do  Trabalho; (SESMT), quando houver;

  3.  trabalhadores de todos os setores. 

Caso não existam esses órgãos dentro da companhia , é possível terceirizar esse serviço para uma organização especialista no assunto.

Depois do estabelecimento da comissão, é hora de implementar o mapa a partir de cinco passos, de acordo com o MTE

1 - Mapear o processo de trabalho no local

Nesta etapa, é crucial  levantar  o número de trabalhadores do local, a  idade, gênero, assim como verificar os treinamentos profissionais e de segurança e saúde que eles já realizaram.

Além disso, deve-se mapear quais são os instrumentos e materiais de trabalhos utilizados, como é o ambiente de trabalho e quais  as atividades exercidas.

Divida então o órgão em setores, pavimentos e seções para identificar os tipos de risco de cada local. Depois disso, pergunte aos colaboradores de cada um desses setores o que mais os incomoda e perturba durante o trabalho. 

2 - Identificar os riscos existentes e classificá-los

É preciso estudar os tipos de risco aos quais os colaboradores estão expostos após a identificação inicial do ambiente de trabalho. 

Os riscos se dividem em físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e de acidentes. A partir de então, é imprescindível  determinar o grau de cada um: pequeno, médio ou grande. Os tamanhos dos círculos e cores no mapa irão indicar o tipo de risco e o seu nível. 

Os detalhes de cada tipo de risco podem ser conferidos mais abaixo. 

3 - Detectar  medidas preventivas existentes e sua eficácia

Essas medidas podem ser de proteção individual, coletiva ou de organização do trabalho. Também já podem ter sido adotadas anteriormente, mas é importante documentá-las e deixá-las visíveis para todos. 

4 - Mapear as queixas de saúde

Verificar as principais queixas de saúde entre os trabalhadores expostos aos mesmos riscos também é essencial. 

Além disso, é importante avaliar os acidentes de trabalho já ocorridos, as doenças profissionais que já foram diagnosticadas e as causas mais frequentes de ausência ao trabalho.

5 - Criar o mapa de riscos de segurança do trabalho

O mapa deve conter círculos com o tipo de risco existente naquela área da empresa de acordo com a cor padronizada para cada ameaça.

Também é relevante que nele constem o número de trabalhadores expostos ao risco, a intensidade dele e o tamanho de acordo com o círculo.

Lembre-se de que esse mapa é dinâmico e deve ser refeito conforme novas atividades, seções e perigos forem surgindo no ambiente de trabalho.

É interessante ter uma pessoa liderando esse processo: o agente mapeador. Ela deve ser observadora, objetiva, ter uma visão global das atividades, entender o histórico da empresa, e saber como funciona a organização do trabalho e as normas e procedimentos legais vigentes. 


Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.

Quais são os elementos de um mapa de risco?

O mapa de risco de segurança do trabalho deve conter:

  • análise de risco;

  • níveis de risco de acordo com as cores do mapa;

  • número de trabalhadores expostos ao risco. 

Caso um setor possua mais de um tipo de risco, é necessário dividir o círculo do local com as duas (ou mais) cores de cada ameaça. 

A divisão das cores do mapa se dá da seguinte maneira, de acordo com o MTE

1 - Verde

Riscos físicos: 

  • ruídos;

  • vibrações;

  • radiações ionizantes e não ionizantes;

  • frio;

  • calor;

  • pressões anormais;

  • umidade.

2 - Vermelho

Riscos químicos: 

  • poeiras;

  • fumos;

  • névoas;

  • neblinas;

  • gases;

  • vapores;

  • substâncias compostas ou produtos químicos em geral.

3 - Marrom

Riscos biológicos: 

  • vírus;

  • bactérias;

  • protozoários;

  • fungos;

  • parasitas;

  • bacilos.

4 - Amarelo

Riscos ergonômicos: 

  • esforço físico intenso;

  • levantamento e transporte manual de peso;

  • exigência de postura inadequada;

  • controle rígido de produtividade;

  • imposição de ritmos excessivos;

  • trabalho em turno noturno;

  • jornadas de trabalho prolongadas;

  • monotonia e repetitividade;

  • outras situações causadoras de estresse físico e/ou psíquico.

5 - Azul

Riscos de acidentes: 

  • arranjo físico inadequado;

  • máquinas e equipamentos sem proteção;

  • ferramentas inadequadas ou defeituosas;

  • iluminação inadequada;

  • eletricidade;

  • probabilidade de incêndio ou explosão;

  • armazenamento inadequado;

  • animais peçonhentos e outras situações de risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes.

Veja melhor como funciona o esquema de cores do mapa de riscos no vídeo abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=QP-RTgabnGM

Como elaborar um mapa de risco? Conclusão

Esse mapa servirá para antecipar, reconhecer, avaliar, prevenir e controlar a ocorrência de riscos no ambiente de trabalho.

Além disso, o mapa ainda faz com que os trabalhadores estejam cientes dos principais riscos e sejam mais cautelosos no seu dia a dia. Isso consequentemente ajuda a diminuir o número de acidentes laborais.

Ele deve ser de fácil leitura e estar fixado nas paredes de todos os setores da empresa, para que os funcionários possam verificá-lo de maneira rotineira.

A sua organização  já conta com um mapa de risco de segurança do trabalho? Além de criar um, é fundamental mitigar os riscos na cadeia de suprimentos. Para isso, você pode contar com o software da Linkana. Por meio dele, é possível fazer a qualificação, homologação e cadastro de fornecedores de maneira ágil e segura. 

Além disso, a Linkana te auxilia a verificar como está a questão do mapeamento de risco de segurança do trabalho na cadeia de suprimentos, controlando as ameaças envolvendo as atividades dos seus fornecedores por meio da avaliação constante de documentos que comprovem a regularidade desses negócios. 

Entre as documentações analisadas pela Linkana estão a quantidade de ações trabalhistas, de processos criminais e as mídias negativas de uma organização. Dessa forma você garante que seus fornecedores estejam cumprindo as principais normas trabalhistas para redução de riscos de segurança e saúde no trabalho. 

Converse com um de nossos especialistas e veja como a Linkana pode simplificar e fortalecer a credibilidade dos processos da área de compras da sua empresa! 

Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market