Resources

Gestão de riscos

Gestão de riscos

Gestão de riscos

O que é gestão de riscos? Para que serve?

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

February 1, 2022

February 1, 2022

February 1, 2022

Você sabe o que é gestão de riscos? Gestão de risco pode ser definida como um gerenciamento que engloba diversas ações e abordagens que visam identificar e resolver potenciais ameaças para uma empresa, as quais influenciam no seu dia a dia e no seu crescimento.

O velho ditado: “quem não arrisca, não petisca”, parece ter sido feito para descrever a atividade empresarial e empreendedora, e cabe bem nesse conceito de gestão. 

Para alcançar o sucesso, é essencial dominar possíveis ameaças, avaliar as inevitáveis e dispor maneiras de mitigá-las.

Para lidar com esse desafio, a prática mais assertiva é aplicar a  gestão de risco. Ou seja, usar mecanismos para gerenciar as incertezas que sua empresa pode estar sujeita ao longo dos projetos, garantindo que fatores negativos sejam evitados e que positivos sejam melhor aproveitados.

Como é possível perceber, o tema é de grande importância para a atuação empresarial, por isso, preparamos este guia prático e completo. 

Aqui, não explicaremos apenas o que é a gestão de risco, mas também abordaremos seus objetivos principais, tipos de riscos enfrentados e como planejar a sua estratégia. 

Gostou da ideia? Então continue a leitura!

O que é gestão de riscos?

A gestão de riscos nada mais é do que um conjunto de ações e políticas internas que uma empresa coloca em prática para identificar e mitigar riscos relativos ao seu negócio. 

Neste contexto, é válido destacar que riscos são incertezas que podem trazer efeitos adversos de diferentes intensidade e origem.

Dessa forma, o gerenciamento de riscos pode focar em:


  • evitar a ameaça por completo;


  • suavizar seu impacto na organização;


  • evitar reincidência;


  • controlar danos;


  • acelerar a recuperação de eventuais prejuízos. 


Essas atividades atuam em conjunto com as boas práticas de compliance e governança corporativa, com o intuito de consolidar a operação de uma empresa, agregar valores como credibilidade e transparência, bem como torná-la mais atraente para investidores e consumidores em geral.

Em 2020, 62% das empresas já contavam com um setor dedicado ao gerenciamento de riscos, segundo dados da KPMG, companhia internacional de prestação de serviços.  

Os números variam de acordo com o segmento de mercado onde elas atuam, mas, ainda assim, é possível perceber como essa área é relevante para assegurar um bom potencial de faturamento.

Não só temos a oportunidade de evitar falhas humanas, diminuir interrupções no ciclo produtivo e combater a ocorrência de prejuízos com essas medidas, mas também de atender a uma expectativa geral dos stakeholders, que demandam por organizações mais transparentes e preparadas.

Você pode ver mais sobre a importância da gestão de riscos no vídeo abaixo:

https://youtu.be/HS_l_TEsZeQ

Quais são os objetivos do gerenciamento de riscos?

Vamos expandir nossa compreensão sobre o que é gestão de riscos, abordando quais são os objetivos do gerenciamento de riscos. No geral, podemos definir três fatores principais para implementar essa estratégia na sua empresa, são eles:

1. Evitar prejuízo financeiro

A primeira meta da gestão de riscos é evitar perdas financeiras por qualquer motivo, avaliando todos os dados e variáveis relativos a um produto ou serviço oferecido a fim de garantir seu consumo e faturamento.

Por exemplo, um produto recém-lançado pode ser bem aceito pelo mercado, uma situação  que deve ser suavizada por estratégias de divulgação, testes e outras práticas similares.

Outra possibilidade, dessa vez envolvendo um produto já estabelecido, seria a ocorrência de uma falta de suprimento ou perda de qualidade em um pedido de matéria-prima. 

Assim, já conseguimos observar que a gestão de risco em fornecedores também é uma medida de grande importância.

2. Aproveitamento de recursos

Saber manejar corretamente os recursos disponíveis, sejam eles força humana, suprimentos em estoque, capacidade produtiva ou verba, é primordial para que sua  atinja o seu máximo potencial.

Nesse contexto, a gestão de riscos conta com mecanismos de monitoramento de desempenho, como indicadores de avaliação de fornecedores, que servem para mostrar se a eficiência esperada para determinada operação está sendo atingida ou se é necessário intervir.

3. Metas de faturamento

Tudo isso tem intuito definitivo de garantir a lucratividade da empresa, considerando que a gestão de riscos fica atenta ao desempenho das áreas para assegurar sua eficiência, ao mesmo tempo em que visa mitigar quaisquer prejuízos.


Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.


Gestão de riscos em 5 etapas: como fazer?

Já mostramos anteriormente como criar um plano de gestão de riscos em 5 passos. Por isso, vamos abordar esse contexto brevemente. Em resumo, as 5 etapas são:


  1. Definição de objetivos personalizados: cada atividade planejada para o gerenciamento de ameaças deve contar com um objetivo claro e mensurável


  1. Identificação de riscos: a seguir, é necessário levantar as possíveis ameaças que podem prejudicar o alcance dessas metas, sem menosprezar qualquer dado, por menor que seja.


  1. Matriz de risco: na matriz de riscos, temos a classificação das ameaças identificadas de acordo com a probabilidade e o impacto que elas podem provocar, dados úteis para definir uma ordem de prioridade nas ações.


  1. Plano de ação: com base na lista de prioridades, cada ameaça conta com um plano de prevenção, contenção e resposta, ou seja, ações de gerenciamento que serão colocadas em prática.


  1. Monitoramento: após implementar possíveis soluções, é necessário monitorar os resultados obtidos para saber se o planejamento proposto foi eficiente, se há margem para otimização ou se o mesmo precisa ser refeito por completo.


Tipos de riscos corporativos existentes

Sabendo o que é gestão de riscos e conhecendo as etapas desse processo, vale destacar algumas informações a respeito da identificação de riscos. Aqui, é muito importante conhecer também os tipos de riscos que uma empresa pode estar sujeita.

Por exemplo, riscos operacionais são falhas internas relativas à estrutura da organização, sistemas internos, insumos, colaboradores, prestadores ou cadeia produtiva. Em geral, são divididos pelo contexto de organização, pessoal e operação de fato.

Também temos os riscos financeiros, que são focados em evitar prejuízos no faturamento, divididos entre falhas de crédito, mercado, liquidez e operação.

Existem muitos outros tipos, como risco regulatório, ambiental, de reputação e imagem, cada um com pontos de origem distintos e potencial de impacto que merece a atenção dos gestores. 

Há ainda os riscos imprevisíveis, eventos que não podem ser antecipados, como catástrofes naturais ou ameaças à saúde, como é o caso da pandemia da Covid-19.

Tudo isso mostra como é importante dedicar recursos internos para desenvolver um setor dedicado ao gerenciamento de ameaças, aumentando assim a capacidade da organização de perceber e tratar eventos adversos com agilidade e eficiência.

Quais são as principais vantagens da gestão de riscos?

Agora que ficou claro o que é gestão de riscos, objetivos, tipos existentes e como fazer, resta conhecer quais vantagens a sua empresa pode obter com esse gerenciamento, certo?

Entre as que mais se destacam estão:


  • identificação precoce de potenciais problemas, dando mais chance de resolvê-los;


  • redução de custos com medidas corretivas, as quais, geralmente, tendem a ser mais onerosas que as preventivas;


  • criação de um local seguro, tanto para funcionários quanto para clientes, parceiros de negócio, fornecedores e demais frequentadores do local;


  • aumento da proteção contra eventuais eventos que podem prejudicar a empresa em diferentes aspectos, por exemplo, na sua reputação;


  • redução de problemas jurídicos, tais como processos trabalhistas decorrentes de acidentes de trabalho ou desenvolvimento de doença ocupacional.


E então, ficou claro o que é gestão de riscos e a importância de colocá-la em prática? Se curtiu esse conteúdo, não deixe de compartilhar nas redes sociais. Continue ligado no blog da Linkana para mais conteúdos sobre o assunto.  

Gestão de fornecedores com mitigação de riscos com a Linkana!

O gerenciamento de riscos é um dos departamentos mais influentes dentro de uma organização, já que ele deve ter potencial e autonomia para propor alterações pertinentes à estratégia adotada por outros setores.

É o caso da gestão de fornecedores, na qual todo o processo de qualificação, homologação e monitoramento de parcerias deve ser adequado ao que é exigido pelas práticas de compliance. 

Mas como podemos otimizar recursos e, ainda assim, verificar criteriosamente cada candidato da cadeia de suprimentos?

A resposta está na Linkana, um sistema de gestão de fornecedores que automatiza a consulta pública de documentos utilizando apenas o CNPJ do candidato, ou seja, com apenas o dado mais simples você já pode cadastrar e analisar o potencial fornecedor.

Quer mais? A plataforma oferece suporte completo para interagir e finalizar a homologação de fornecedores, além de facilitar o monitoramento para manutenção de certificados, servindo uma estratégia de longo prazo com muito mais eficiência e assertividade.

Garanta sua gestão de risco na cadeia de fornecedores com a Linkana. Faça uma demonstração gratuita do software agora mesmo, basta preencher o formulário para agendarmos uma reunião.

Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market