Resources

Fornecedores

Fornecedores

Fornecedores

Como analisar DRE de fornecedores? 2 formas + importância!

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

Written byLeo Cavalcanti

January 18, 2024

January 18, 2024

January 18, 2024

Saber como analisar DRE de fornecedores é uma importante medida que você deve adotar para proteger sua empresa de diversos riscos. O motivo é que esse tipo de análise aponta como está a saúde financeira de um negócio e se ele está dando lucro ou prejuízo.

DRE é a sigla para Demonstração do Resultado do Exercício. Consiste em um relatório contábil que reúne os principais indicadores financeiros de uma companhia, tais como receita bruta e líquida, custos de produção, lucro bruto e outros.

Do ponto de vista empresarial, a DRE é uma ferramenta essencial para embasar o planejamento estratégico, revelando para os gestores como está a evolução financeira da companhia para, a partir dessa percepção, definirem e adotarem as medidas necessárias para o crescimento e sucesso do negócio.

Considerando a formação de parcerias, como as necessárias para montar a rede de abastecimento, saber como analisar DRE de fornecedores é uma forma de evitar o envolvimento com empresas que estão com as contas comprometidas devido às dívidas — o que pode afetar a qualidade do que é oferecido —, ou mesmo com as que estão sob risco de falência, por exemplo.

Não sabe como fazer essa análise? Sem problemas! Neste artigo apresentaremos duas maneiras de realizar essa verificação, e também tudo sobre DRE, incluindo o que é, o que a compõe, a importância de fazer a análise da demonstração dos fornecedores e muito mais.

Siga a leitura e veja tudo sobre esse tema agora!

O que é DRE?

DRE significa Demonstração do Resultado de Exercício. Trata-se de um documento contábil que centraliza todas as receitas e despesas de uma empresa, e que tem por objetivo revelar se a companhia está dando lucro ou prejuízo em um determinado período.

Obrigatório a todas as empresas — exceto para quem é Microempreendedor Individual (MEI) —, esse relatório foi instituído pelas leis n° 6.404/76 - artigo 187, e lei n° 11.638/07, e precisa ser apresentado anualmente após o fechamento do ano-calendário, que é o período entre janeiro e dezembro de um mesmo ano.

Outras duas indicações da DRE são que ela deve ser elaborada juntamente ao Balanço Patrimonial, relatório que aponta todos os ativos e passivos de um negócio, e obrigatoriamente assinada por um contador devidamente credenciado pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC).

Dica de leitura: "Análise financeira de fornecedores: qual a importância e como fazer?"

O que demonstra a DRE?

Segundo o artigo 187 da Lei n° 6.404 de 15 de dezembro de 1976, os indicadores de DRE que devem ser demonstrados neste documento são:

  • receita bruta decorrente de vendas e/ou prestação de serviços: incluindo todas as deduções sobre as vendas, abatimentos e impostos incidentes;

  • receita bruta decorrente de vendas e/ou prestação de serviços: considerando o custo das mercadorias e/ou serviços negociados e o lucro bruto de cada um deles;

  • despesas: contemplando as provenientes de vendas, as financeiras, as deduzidas das receitas, as gerais, administrativas e operacionais;

  • lucro ou prejuízo operacional: considerando também demais receitas e despesas; 

  • lucro ou prejuízo líquido: considerando o exercício e sua quantia decorrente do capital social.

  • resultado do exercício antes do Imposto de Renda: bem como a reserva financeira (provisão contábil) para esse imposto;

  • participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias: ainda que no formato de instrumentos financeiros, de instituições ou de fundos de assistência ou previdência de empregados, e não são caracterizados como despesas;

Somado a essas pontos, a DRE também demonstra:

  • todas as receitas e rendimentos obtidos no período analisado, independentemente da moeda; 

  • custos, despesas, encargos, perdas, pagamentos ou incorridos, correspondentes às receitas e rendimentos identificados anteriormente.

O que compõem a DRE?

Antes de explicarmos como analisar DRE de fornecedores, é importante falarmos quais são os elementos que compõem esse documento. Dessa forma, você saberá exatamente o que verificar de cada uma das empresas que fazem parte, ou farão, da sua cadeia de suprimentos.

Seguindo essa linha, os itens para analisar na DRE do fornecedor são:

  1. receita bruta de vendas;

  2. impostos, deduções e abatimentos;

  3. receita líquida;

  4. custos de produtos e/ou serviços;

  5. lucro bruto;

  6. despesas; 

  7. receitas e despesas ocasionais;

  8. lucro ou prejuízo operacional;

  9. resultado líquido do exercício.

Veja, a seguir, detalhes de cada um deles.

Composição da DRE

1. Receita bruta de vendas

A receita bruta contempla todos os valores que entraram nas contas e no caixa da empresa, decorrente das vendas realizadas, sejam elas de produtos ou de serviços.

Neste caso, o faturamento considerado é aquele obtido sem considerar os gastos e despesas necessários para alcançá-lo. 

Somado a isso, é preciso levar em conta o prazo médio de vendas, já que os valores que compõem a receita bruta independem de quando aconteceu o recebimento. 

Explicando de outro modo, é preciso incluir também todas as formas de pagamento, mesmo as com data futura, a exemplo das vendas parceladas.

2. Impostos, deduções e abatimentos

Na Demonstração do Resultado do Exercício, também devem constar todos os impostos que incidem sobre as vendas, a exemplo do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e do ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza).

Um detalhe que precisa ficar claro no processo de como analisar DRE de fornecedores é que, no que se refere a imposto e tributos, é preciso ponderar sobre os conceitos de incidência e não pagamento.

Na prática, significa que todas essas cobranças devem ser listadas, independentemente de terem sido pagas ou não.

Outro ponto é que devem ser apresentados também os tributos incidentes sobre lucros, a exemplo do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Por fim, todas as deduções, como descontos e devoluções de valores, precisam ser devidamente apresentadas na DRE.

Dica! Este artigo também ajudará você: "Obrigações fiscais: quais precisam ser cumpridas?"

3. Receita líquida

A receita líquida nada mais é do que o resultado da receita bruta de vendas, menos os impostos, deduções e abatimentos. Isto é, o valor que sobra após todos os gastos referentes à fabricação ou venda de um produto terem sido retirados.

4. Custos de produtos e/ou serviços

E por falar em gastos, a Demonstração do Resultado do Exercício também deve apontar claramente quais foram os custos necessários para a comercialização dos itens que a empresa vende, ou dos serviços prestados aos clientes.

Como exemplo, imagine um fornecedor de bens de consumo que trabalha com o abastecimento de alimentos para revenda. Quanto ele gastou para fabricar os produtos alimentícios e distribuir entre seus contratantes? É essa informação que precisa estar descrita na DRE.

5. Lucro bruto

Seguindo com a explicação sobre como analisar DRE de fornecedores, outro elemento que você precisa identificar nesse relatório contábil é o lucro bruto. Trata-se do resultado da subtração entre o valor da receita líquida e o total dos custos de produtos e/ou serviços. 

6. Despesas 

Neste item, devem ser registradas todas as despesas necessárias para manter a empresa operando, que não se relacionam com os gastos para fabricação de produtos ou entrega de serviços.

Isso inclui, por exemplo, contas de água, luz, internet, aluguel do espaço, bem como despesas administrativas, como folha de pagamento, tarifas bancárias, entre outras.

7. Receitas e despesas ocasionais

Também pode acontecer de, no período analisado da DRE, a empresa ter receitas e despesas.

Por fontes de receita dessa natureza, é possível considerar algum prêmio ou incentivo financeiro recebido que não tem recorrência. Ou seja, trata-se de um valor isolado.

No que se refere às despesas, podemos citar como exemplo gastos com eventos, multas de trânsito, multas ambientais, entre outras pontuais.

Não deixe de conferir: "Atividades passíveis de licenciamento ambiental afetam a supply chain?"

8. Lucro ou prejuízo operacional

A quantia referente ao lucro ou prejuízo operacional é identificado na DRE a partir da subtração do valor de todas as despesas sobre o lucro bruto.

Se o resultado for positivo, significa que a empresa lucrou no período avaliado. Caso negativo, quer dizer que não foi alcançado o retorno financeiro esperado.

9. Resultado líquido do exercício

E uma das orientações mais importantes de como analisar DRE de fornecedores corretamente, é a verificação do valor apontado no campo resultado líquido do exercício.

Trata-se do valor obtido após o lançamento de todos os elementos que citamos até agora nesse relatório contábil.

É ele que aponta, efetivamente, se a empresa em questão teve lucro ou prejuízo no período analisado.

Ao verificá-lo você consegue identificar, por exemplo, um fornecedor crítico, que é aquele que apresenta riscos evidentes para o seu negócio. 

Como estamos falando de questões financeiras, se o resultado líquido do exercício desse fornecedor for negativo, é preciso atenção especial sobre pontos como:

  • dependência financeira;

  • nível de endividamento;

  • fontes de receita e margem de lucro;

  • existência de pedidos de recuperação judicial ou falência;

  • entre outros relacionados.

Aproveite e leia também: "Índices de endividamento de fornecedores: por que conhecer?"

Modernize your supplier management today

Fill out the form below and discover the most complete and integrated SRM platform in Brazil.

Como analisar DRE de fornecedores?

Existem duas maneiras distintas de analisar a DRE de fornecedores, que são:

  • análise DRE horizontal;

  • análise DRE vertical.

Análise DRE horizontal

Esse tipo de análise revela de quanto foi o aumento ou a redução de cada uma das despesas e receitas, a partir da comparação do período atual com anteriores.

Em outras palavras, essa verificação permite comparar um mesmo item, porém, de exercícios diferentes. 

A análise DRE horizontal ajuda a identificar se há valores muito diferentes, entre um período e outro, para uma mesma conta. Esse tipo de divergência é uma alerta para possíveis falhas de lançamento financeiro, ou mesmo fraudes.

Uma das grandes vantagens dessa avaliação, é que ela aponta se houve ou não crescimento financeiro, e como está a linha evolutiva da empresa, contribuindo muito para embasar planejamentos.

Análise DRE vertical

Também chamada de Análise de Estrutura, essa verificação é feita de cima para baixo, ou de baixo para cima, e considera cada uma das colunas da Demonstração do Resultado do Exercício do fornecedor.

O principal objetivo desse tipo de análise é identificar o percentual de participação e de impacto de cada uma das receitas e despesas da empresa sobre o faturamento bruto obtido em um determinado período.

Ao fazer isso, é possível verificar quais são os gastos que mais afetam os lucros, e a porcentagem de dívidas, por exemplo.

Qual a importância de analisar DRE do fornecedor?

Ficou claro como analisar DRE de fornecedores? Então, você já deve estar imaginando a importância dessa verificação, não é mesmo?

Como já comentamos, a Demonstração do Resultado do Exercício ajuda a identificar fornecedores críticos, financeiramente falando.

Ao chegar a essa percepção, você se antecipa a diversos problemas e obstáculos. Por exemplo, se a margem de lucro da empresa fornecedora for baixa, pode acontecer de ela não abrir espaços para negociações, dificultando o saving de compras.

Outro bom exemplo é quando esse relatório apresenta prejuízo no período avaliado, revelando que as despesas estão maiores que as receitas. Essa condição pode fazer o fornecedor ter problemas para pagar as contas fixas, como o salário dos funcionários ou os próprios parceiros de negócio.

Consequentemente, todo o fluxo operacional dessa empresa está ameaçado, refletindo também na sua e aumentando riscos como o de desabastecimento. 

Por fim, você não recebe os insumos ou serviços que precisa para fabricar e entregar os itens que comercializa, resultando em problemas no relacionamento com seus clientes e no seu faturamento.

Sobre esse assunto, vale a pena você ler o artigo: "Análise de estabilidade financeira de fornecedores: como realizar?"

Como otimizar a análise de documentos de fornecedores?

Saber como analisar DRE de fornecedores é apenas uma das tarefas que fazem parte do gerenciamento desses parceiros de negócio. 

São muitos os documentos que precisam ser analisados no processo de homologação para encontrar os parceiros mais adequados para a sua empresa e evitar diversos riscos.

Considerando o volume do que precisa ser feito, utilizar um bom software de gestão de fornecedores faz toda a diferença.

Com o da Linkana, por exemplo, você analisa e homologa fornecedores em segundos, não em semanas. São vários módulos e funcionalidades que ajudam a tomar as melhores decisões.

Conheça um pouco mais assistindo a este vídeo com Leo Cavalcanti, CEO e cofundador da Linkana.

Em comparação a outros sistemas disponíveis no mercado, nossos diferenciais são:

  • MODERNA → Utilizamos das principais tecnologias para automatizar a coleta e validação de informações coletadas de fornecedores, otimizando o onboarding e a atualização de cadastros.

  • SIMPLES → Padronizamos sua homologação de fornecedores de acordo com as melhores práticas de mercado, te ajudando a economizar tempo na configuração do seus processos de aprovações de maneira flexível e prática.

  • INTEGRADA →  Conectamos seu sistema legado, ERP ou e-procurement com nosso SRM, tornando nossa solução sua fonte única de dados de fornecedores, dinâmica e 100% integrada em questão de dias.

Quer conhecer de perto como tudo isso funciona? Basta preencher agora mesmo o formulário abaixo!

Radically optimize your supplier management

Sign up below and discover how to reduce supplier registration and approval time by up to 80%.

OTHER CONTENTS

Discover more news and trends in the procurement market