O que é VMI? Quais são as vantagens dessa ferramenta na gestão de estoque? Aprenda como usá-la!

O gerenciamento de estoque não é uma atividade simples de ser feita. Para que todos os prazos sejam atendidos e a empresa não tenha prejuízos, é necessária uma gestão eficiente, que use a tecnologia a seu favor. Como, por exemplo, a ferramenta VMI.

Mas, afinal, o que é VMI na cadeia de suprimentos? Quais são os benefícios proporcionados à gestão e ao comércio varejista? Continue a leitura e entenda mais!

O que é VMI?

Entender o que é VMI é simples. A sigla corresponde ao termo Vendor Managed Inventory, traduzido como estoque gerenciado pelo fornecedor, que já retrata a sua principal função.

Essa ferramenta disponibiliza dados de vendas e de movimentação de estoque do varejo aos seus fornecedores. O objetivo é que eles próprios assumam o controle de reposição do estoque de acordo com a frequência de demanda das mercadorias.

Dessa forma, o fornecedor e o varejista conseguem prever o nível de estoque necessário para que o cliente seja atendido com rapidez e eficiência.

Para aprofundar ainda mais o seu conhecimento sobre o que é VMI na cadeia de suprimentos, confira quais dados são disponibilizados aos fornecedores:

  • histórico de vendas;
  • vendas atuais;
  • sazonalidade;
  • tendências de consumo.

Vamos a um exemplo prático sobre o que é VMI? Imagina que o reabastecimento de produtos seja de responsabilidade do distribuidor. É ele quem fará os pedidos à indústria. Com o VMI, o monitoramento e a análise do estoque será realizada pela própria indústria. 

Dessa forma, ela já saberá quando terá que fazer a reposição, quais são os produtos e sua quantidade, otimizando, portanto, o seu processo de reabastecimento.

Com o uso do VMI, o varejista não precisa mais solicitar mercadorias ao fornecedor. Ele próprio se antecipa às entregas.

Quais são as vantagens do VMI?

Já vimos o que é VMI e como ele funciona na prática, certo? Para fixar melhor o assunto, separamos aqui os principais benefícios da metodologia.

Com a possibilidade de se comprometer com a reposição de estoque da empresa parceira, o fornecedor também garante uma redução de custos e de tempo e a otimização das operações.

Confira agora algumas vantagens do VMI para a indústria e os varejistas:

  • equilíbrio das políticas de estoques com redução dos níveis armazenados;
  • melhora no atendimento ao consumidor com produtos sempre disponíveis;
  • aumento da margem de lucro, sem rupturas do estoque e perdas de mercadorias;
  • aperfeiçoamento das operações com correção de possíveis falhas no processo;
  • automatização do gerenciamento de estoque;
  • aumento de produtividade no setor;
  • ganho de vantagem competitiva no mercado;
  • redução de custos de logística;
  • eliminação de falhas no momento do pedido;
  • análise de demandas em potencial: ampliação de vendas e diversificação do mix de produtos.

Lembramos que para que todos esses benefícios sejam aproveitados pelo fornecedor e pela indústria ou comércio é necessário que a gestão se alie à tecnologia para evoluir as operações de supply chain.

Aprenda mais: Como gerenciar o efeito chicote na cadeia de suprimentos? Conheça as 4 melhores estratégias

Como usar o VMI?

Ao aprender o que é VMI pode ter ficado uma dúvida na sua cabeça: “terei que fornecer todas as informações da minha empresa ao fornecedor?”.

A resposta é não. De acordo com o sistema de gestão empresarial utilizado, há algumas formas de manter a privacidade de informações estratégicas do negócio. Como escolher o EDI para transmitir os dados ou então criar uma área apenas de VMI dentro do sistema de gestão.

Dessa forma, o fornecedor terá acesso a dados como modelo de negócio, previsão de demanda, venda real, estoque, gestão de toda a cadeia de suprimentos e KPIs (indicadores de performance).

Mas, como usar o VMI de forma adequada e eficiente? O primeiro passo é o fornecedor escolher quais clientes serão atendidos dessa forma. Deve-se levar em conta o relacionamento com a empresa, a localização, o faturamento, o market share e, claro, a disponibilidade de tecnologia.

Veja a seguir os próximos passos a serem dados para o bom uso do Vendor Managed Inventory:

  • apresentar o conceito do projeto;
  • estruturar o escopo do projeto junto à alta gerência corporativa para impor os limites operacionais e focar em um objetivo comum. Esse objetivo pode ser a reposição baseada na venda real ou previsão de demanda futura, por exemplo;
  • acordar junto ao fornecedor quem será o responsável pela exposição, definição de preços e promoções;
  • definir o projeto com condições explícitas para ambos os lados. 

Esse passo a passo é indispensável para as duas partes se beneficiarem por completo desse novo modelo de negócio.

Outro ponto importante a se destacar é a importância de escolher os fornecedores adequados e confiáveis para criar uma parceria baseada em confiança e resultados entregues.

Qual a relação do VMI com a tecnologia?

Constatamos que ao compreender o conceito de o que é VMI, percebe-se que, sem a tecnologia, a utilidade da ferramenta não seria possível.

Porém, o fator humano pode causar falhas no processo. Afinal, é necessário colher corretamente os dados e inseri-los no sistema sem erros ou confusões.

Basta um número errado para toda a previsão e o transporte de mercadorias desandar. Uma mínima falha pode significar atraso para o consumidor, entregando-o de bandeja para a concorrência.

Por isso, é necessária uma gestão rápida e eficiente que apure de modo ágil os dados necessários para as tomadas de decisão. A partir de um trabalho bem-feito, há maior possibilidade de sucesso ao gerar insights e mudanças no fluxo de distribuição.

Ou seja, uma gestão eficiente aliada à automatização de processos garante diversos benefícios ao fornecedor e aos varejistas, como:

  • padronização de indicadores de medição;
  • alinhamento estratégico;
  • simplificação e rapidez de processos;
  • eliminação de retrabalho;
  • integração de dados;
  • geração de relatórios de performance.

Saiba mais: Conheça 5 tendências de transformação digital na logística para investir na sua empresa

Para finalizar, precisamos falar sobre o processo de implementação do VMI na rotina operacional das empresas. Até porque, mudanças impactam diretamente o trabalho de diversos colaboradores.

Por isso, antes de investir no uso do VMI, tire um tempo para reestruturar os setores, direcionando-os à nova realidade e ao alinhamento estratégico empresarial.

Dê um passo adiante na sua gestão, faça a homologação e avaliação de fornecedores rápida e sem burocracia, com monitoramento automatizado:

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.
logo linkana

Ferramenta

Consulta de CNPJ

Encontre o CNPJ e mais 10 outros dados de fornecedores em segundos.

logo linkana

Podcast

Procurement Hero

Líderes e referências do mercado de procurement batem um papo sobre tecnologia, dados e tendências.

logo linkana

Ebook

Gestão de Fornecedores

Descubra como fazer um gestão de fornecedores inteligente e guiada por dados na sua empresa!