Auditoria ESG: por que e como realizar na gestão de fornecedores?

A auditoria ESG consiste em uma análise aprofundada da atuação de um negócio perante os três pilares relacionados ao conceito. Em outras palavras, significa verificar, detalhadamente, como está a atuação de uma empresa no que se refere a boas práticas ambientais, sociais e de governança.

Do ponto de vista da estruturação de uma rede de fornecedores confiável, esse tipo de auditoria ajuda a proteger a sua companhia de uma série de riscos. 

Por exemplo, imagine que, durante a auditoria, você identifique que um fornecedor em potencial apresenta falhas no processo de descarte de resíduos, ou que não está em divergência com leis trabalhistas. 

Nesse caso, você tem a chance de lidar com as questões levantadas antes da contratação, evitando que afetem a dinâmica e a imagem do seu negócio ao fechar a parceria.

Além disso, pode ponderar sobre o que vale mais a pena: assumir os riscos ou buscar outra empresa fornecedora para abastecer a sua.

Sendo assim, é certo dizer que realizar uma auditoria ESG evita que a sua companhia passe por diversas outras ameaças e problemas no relacionamento com os fornecedores, tais como financeiros, reputacionais, jurídicos, de desabastecimento, entre outros.

Então, como realizar a verificação precisamente e, com isso, diminuir as ameaças características desse tipo de contratação? 

É sobre esse assunto que falaremos neste artigo. Por isso, siga a leitura e confira tudo sobre a auditoria ESG!

O que é uma auditoria ESG?

A auditoria ESG é um processo de análise pontual e aprofundado dos processos adotados por uma empresa, bem como dos resultados obtidos, no que se refere a boas práticas voltadas para os pilares ambiental, social e de governança.

Explicando de outro modo, trata-se de um estudo minucioso, sistemático e cuidadoso das atividades ESG que um negócio adota, que tem por objetivo verificar se essas práticas estão de acordo com as ações esperadas para o ramo de atuação e legislações vigentes.

Para chegar a essa constatação, a auditagem mensura, analisa, verifica e valida documentos e processos como:

  • relatórios de sustentabilidade;
  • KPIs socioambientais, econômicos e de governança;
  • aderência dos pilares ESG nas atividades corporativas;
  • existência e aplicação de códigos de conduta, políticas e demais diretrizes que ajudam na implementação do conceito;
  • entre outros pontos relacionados.

Dica! Aproveite e leia também: “O que é a auditoria de compliance e por que ela é tão importante?

Infográfico
ESG: o que é, como aplicar, vantagens e como medir
Listamos 7 vantagens de ter uma política ESG na sua empresa, 4 maneiras de como aplicar e 3 formas de como medir se as ações estão tendo sucesso ou não.

Por que fazer uma auditoria ESG nos fornecedores?

Incluir a auditoria ESG na gestão de fornecedores do seu negócio é uma forma de mitigar os riscos inerentes do modelo de contratação. Tais riscos incluem as ameaças geradas pelos parceiros que podem afetar diretamente a dinâmica do seu negócio e, consequentemente, o crescimento e a lucratividade.

Alguns bons exemplos de riscos relacionados aos pilares socioambiental e de governança que podem estar relacionados aos processos e práticas dos fornecedores são:

  • ambientais:
    • desmatamento descontrolado;
    • emissão de gases de efeito estufa;
    • descumprimento de leis de proteção ambiental.

Em resumo, é possível dizer que realizar uma auditoria com foco no conceito ESG é uma medida de segurança a favor do seu negócio. Afinal, o processo permite identificar, previamente, riscos como os que acabamos de citar.

Ao ter a informação nas mãos, você tem a chance de ponderar sobre o que é mais interessante e seguro para sua companhia, conforme o grau de ameaça identificada — por exemplo, trazer o fornecedor para a sua cadeia de suprimentos mesmo sob algum risco, ou buscar por outro que se mostre mais preparado e alinhado aos 3 pilares.

Leia também: “Gestão de riscos de fornecedores: TUDO sobre como mitigar ameaças!

Quais são os critérios de auditoria ESG? 

Os critérios de uma auditoria com foco ESG estão diretamente vinculados às bases socioambientais e de governança

Quanto a isso, é importante destacar que cada empresa pode determinar seus próprios fundamentos e parâmetros de auditagem, de acordo com o segmento, modelo de negócio e forma de atuação.

Entretanto, em linhas gerais, os critérios ESG que entram na verificação são:

  • ambiental: tem, por objetivo, verificar a relação da empresa com o meio ambiente, o impacto das atividades realizadas na natureza e quais medidas adota para minimizá-los;
  • social: esse é um ESG rating que mensura a postura e as condutas da empresa perante seus stakeholders, a exemplo de: cumprimento de leis trabalhistas, adoção de programas de diversidade e inclusão, e outras práticas relacionadas;
  • governança: essa parte da auditoria é voltada para a gestão do negócio, por isso, inclui a verificação da transparência dos processos, o combate a fraudes, a responsabilidade corporativa e outras condutas similares.

Como fazer uma auditoria ESG? 4 passos + 2 dicas

Para fazer uma auditoria socioambiental e de governança nos fornecedores atuais e futuros da sua empresa, há alguns passos que devem ser seguidos. Entre os principais, estão:

  1. definir o escopo da auditoria: ou seja, determinar o objetivo do processo e quais áreas serão envolvidas;
  1. coletar os dados: levantar dados e informações relacionados ao conceito ESG que contribuirão para a auditagem realizada;
  1. avaliar as informações: analisar o que foi levantado anteriormente para identificação dos pontos positivos e negativos das condutas ESG adotadas pelo fornecedor;
  1. gerar o relatório final: registrar todas as percepções para, a partir daí, tomar a decisão sobre a contratação ou não da empresa fornecedora.

Empresas como a DNV oferecem serviços de auditorias em fornecedores, tornando a atividade muito mais prática, rápida e eficiente. 

A Linkana, software de gestão de fornecedores em rede, ajuda no processo com o Linkana ESG Exposure Index, ferramenta que determina automaticamente o nível potencial de impacto ambiental, social e climático da empresa fornecedora conforme as atividades econômicas realizadas.

Quer entender melhor como a ferramenta funciona e o quanto ela pode contribuir para aprimorar a gestão de fornecedores do seu negócio? Então preencha agora mesmo o formulário abaixo!

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.

Artigos Populares

Ebook

Diversidade de Fornecedores

Tenha acesso a um guia completo de como estruturar o seu programa de diversidade de fornecedores. Veja erros, acertos, cases de sucesso e boas práticas do mercado!

logo linkana

Podcast

Procurement Hero

Líderes e referências do mercado de procurement batem um papo sobre tecnologia, dados e tendências.

Teste
Descubra se você é um comprador do futuro!

Tenha acesso a um guia completo de como estruturar o seu programa de diversidade de fornecedores.Veja erros, acertos, cases de sucesso e boas práticas do mercado!

logo linkana

Ferramenta

Consulta de CNPJ

Encontre o CNPJ e mais 10 outros dados de fornecedores em segundos.

logo linkana

Ebook

Gestão de Fornecedores

Descubra como fazer um gestão de fornecedores inteligente e guiada por dados na sua empresa!