Nível de serviço na cadeia de suprimentos: o que é + qual sua importância?

As operações de uma empresa dependem de uma interação de qualidade elevada entre elas e cada nível de serviço na cadeia de suprimentos, uma vez que eles afetam a gestão com características diferentes.

Ao longo do artigo, vamos trazer uma definição prática de cadeia de suprimentos, níveis de serviço e qual sua importância para a gestão da supply chain, principalmente no que diz respeito à avaliação de fornecedores. Boa leitura!

O que é a cadeia de suprimentos?

Supply chain ou cadeia de suprimentos é o nome atribuído a estrutura de uma empresa, que é responsável pela gestão de pessoas, atividades e itens envolvidos no transporte, recebimento, armazenagem e  manuseio de produtos ou serviços, desde o recebimento dos fornecedores e produção interna até a entrega do produto ao consumidor final.

A partir desse entendimento, vemos que a gestão da área deve organizar os processos na cadeia de suprimentos, garantir o funcionamento de acordo com o planejamento estratégico do setor e ainda manter o sistema preparado para enfrentar condições adversas em qualquer etapa.

Dessa forma, vemos que uma empresa não sobrevive e evolui sem que a gestão da cadeia de suprimentos seja realizada de maneira eficiente, já que toda a rentabilidade de uma operação depende do cumprimento de prazos e metas estabelecidas nos indicadores de desempenho.

Diferença entre logística e cadeia de suprimentos

Podemos entender a logística como o manuseio, transporte e armazenagem de itens relativos à cadeia produtiva, sejam eles suprimentos ou o produto final de uma operação.

Por outro lado, a cadeia de suprimentos se refere a uma quantidade mais ampla de processos, estando associada a compra de suprimentos, planejamento de aquisições, gestão de fornecedores, avaliação de performance, entre outros.

Há quem defenda que cadeia de suprimentos e logística se referem a mesma atividade, com a mudança de nomenclatura sendo ocasionada pela própria evolução das técnicas adotadas no setor. Também há quem aponte que são termos interligados, ainda assim, distintos.

No fim das contas, ambas abordagens são válidas. Basta identificar o modelo que mais se adequa a sua empresa e o modelo de gerenciamento adotado por ela. Para ver um pouco mais sobre o que é e como funciona a cadeia de suprimentos, encarando como uma área que vai além da logística, assista o vídeo a seguir:

Processos da cadeia de suprimentos

Os processos da cadeia de suprimentos são desenvolvidos ao longo de elementos principais, que podem ser classificados de acordo com a demanda, custo, desafio principal e nível de serviço na cadeia de suprimentos.

Com isso em mente, os processos básicos da cadeia de suprimentos se desenvolvem em 5 áreas principais, que são:

Produção

Aqui devemos considerar quais produtos pertinentes à operação da empresa serão fabricados internamente ou adquiridos de terceiros. O ponto focal da produção deve ser garantir a qualidade, capacidade de produção, atendimento de demanda e satisfação do consumidor perante o resultado.

Fornecedores

A rede de fornecedores envolve todos os itens e serviços que serão terceirizados, a fim de diminuir o custo operacional sem colocar em detrimento o padrão de qualidade do produto-fim.

Estoque

A gestão da cadeia de suprimentos deve buscar equilíbrio e eficiência no gerenciamento do estoque. Itens parados na armazenagem geram custo e podem ser perdidos, portanto, é relevante manter uma quantidade e bom índice de aproveitamento.

Localização e transporte

A localização da empresa e seus centros de distribuição deve ser uma decisão estratégica de acordo com cada nível de serviço na cadeia de suprimentos, afinal de contas os serviços mais importantes devem ter os custos de transporte como uma prioridade de redução, seja no recebimento ou distribuição.

Performance e feedback

Toda operação deve contar com indicadores de performance. A avaliação de fornecedores, por exemplo, é uma necessidade constante para manter um bom relacionamento com a cadeia de suprimentos e garantir sempre o melhor custo-benefício.

Nesse ponto, também é relevante considerar os feedbacks recebidos de clientes, já que eles servem para atestar o padrão de qualidade obtido ao longo da cadeia de suprimentos e produção.

O que são os níveis de serviço na cadeia de suprimentos?

Conhecendo os processos e a própria gestão de cadeia de suprimentos, só nos resta compreender como se define cada nível de serviço na cadeia de suprimentos. De modo geral, nível de serviço se refere à etapa da cadeia produtiva que uma tarefa ou um item é inserido.

Por exemplo, como nível de serviço na cadeia de suprimentos, podemos dividi-los de acordo com o momento da aquisição. Assim, temos a pré-transação, transação e pós-transação.

Pré-transação

Compreende todos os serviços realizados antes da negociação e aquisição de um determinado item. Nesse nível de serviço na cadeia de suprimentos, temos as políticas institucionais, diretrizes de relacionamento e regras a serem seguidas para a qualificação e homologação de fornecedores, cotação e condições para as compras.

Transação

Seguindo o raciocínio, temos os elementos que ocorrem durante a aquisição de suprimentos pelo departamento de compras. Definem-se então os parâmetros mais rentáveis para que se realize a compra. 

Como exemplo de nível de serviço na cadeia de suprimentos relativos à transação, podemos citar o processamento, tipo de embalagem, quantidade entregue, aproveitamento, padrão de qualidade, entre outros fatores relativos à entrega.

Pós-transação

Como o último nível de serviço na cadeia de suprimentos e logística, temos a pós-transação. Compreende todos os eventos após a entrega do item ou execução do serviço, avaliando o nível de satisfação e desenhando processos como logística reversa, devoluções, trocas e gestão de materiais sobressalentes.

Benefícios da eficiência na gestão da cadeia de suprimentos

Acompanhar as métricas e avaliar o desempenho de cada processo e cada nível de serviço na cadeia de suprimentos garante que a meta de aquisições com o melhor custo-benefício possível seja realmente alcançada. 

Com base nesse entendimento, os benefícios da gestão da cadeia de suprimentos com eficiência podem ser resumidos aos seguintes:

  • Destaque no mercado;
  • Excelência no padrão de qualidade;
  • Aumento de eficiência;
  • Redução de custos gerais;
  • Garantia de satisfação dos consumidores;
  • Relacionamento otimizado com fornecedores confiáveis;
  • Operação focada em estratégias relevantes.

Para aproveitar essas vantagens, é essencial investir em um planejamento estratégico e em iniciativas para modernizar a gestão na cadeia de suprimentos, uma vez que empresas que apostam na transformação digital aproveitam uma vantagem competitiva de alto nível.

Invista em tecnologia na gestão de suprimentos

A gestão dos níveis de serviço na cadeia de suprimentos depende de fornecedores competentes e capazes de atender a demanda da empresa com uma performance satisfatória e baixo índice de riscos atrelados a ela.

Para garantir a qualidade de cada aquisição, realizar adequadamente o processo de qualificação de fornecedores é essencial. Além de garantir uma estrutura apta a atender suas necessidades, a análise de Compliance traz mais segurança à rede de fornecedores.

Realize essa análise e faça diagnósticos precisos sobre potenciais fornecedores com a Linkana. Nossa tecnologia promove uma ampla e automatizada consulta de dados públicos, sem tirar o tempo e o foco de sua equipe sobre as decisões mais estratégicas e importantes.

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.