ESG Framework: 5 pilares da criação de valor

O mercado empresarial está em constante evolução, pautado por práticas que elevam a lucratividade e a confiança no retorno sobre investimento. Uma pauta que vem conquistando um papel de destaque nesse cenário é o índice ESG

Para entender como isso acontece, vamos mostrar o que é o ESG Framework e como isso funciona na prática. Continue lendo!

O que é ESG Framework?

Framework é uma estrutura básica que irá suportar uma construção, composta por pilares que sustentam e elevam o seu propósito principal. No caso do ESG Framework, os pilares de apoio são representados pelas pautas relativas a cada letra de sua sigla.

ESG é uma sigla em inglês, que significa Environmental, Social and Governance. Traduzida como Ambiental, Social e Governança, tem o ideal de classificar as ações de uma empresa com base nesses três sistemas e de acordo com o potencial de crescimento em cada uma dessas frentes.

Antes de falarmos sobre a estrutura do ESG, ou seja, o ESG Framework, veja como cada elemento do índice é representado na prática:

  • E – Environmental: no que diz respeito a pauta ambiental, podemos considerar todas as ações relacionadas a sustentabilidade e responsabilidade ambiental nas interações da empresa com o espaço que a cerca. 

Nesse contexto, podemos citar ações de descarte de dejetos, preocupação com sustentabilidade na cadeia de suprimentos, compliance ambiental, controle de poluição e atividades mais complexas, como implementação de logística reversa;

  • S – Social: a questão social é ampla e pode ser elaborada a partir das ações de uma empresa para fortalecer a sua relação com a sociedade e estimular o desenvolvimento de pautas relevantes, como inclusão social, representatividade e igualdade.

Exemplos de pautas de cunho social são encontrados em ações simples, como envolvimento em questões trabalhistas e respeito a normas regulamentadoras, até a questões mais complexas, como adoção de cotas raciais, contratação de pessoas com deficiência, estímulo a contratação de mulheres para cargos de liderança e similares;

  • G – Governance: o critério de governança envolve a questão da conformidade, equidade e respeito a uma conduta ética e as normas vigentes, além da adoção de uma gestão transparente, especialmente na atenção que dá aos seus stakeholders através da prestação de contas.

5 formas de criar valor com o ESG Framework

Podemos perceber como a abordagem das empresas ESG é capaz de valorizar os seus ativos. Enquanto empresários mais conservadores podem enxergar essas atividades como uma conduta custosa e fútil, a realidade é bem o contrário.

Os indicadores ESG e o ESG Framework estão diretamente ligados ao sucesso a longo prazo. Empresas que investem com inteligência e responsabilidade se tornam mais valorizadas e seguras por mais tempo, se consolidando como organizações que merecem recompensas.

Para entender como isso funciona na prática, confira 5 formas de valorização que podem ser alcançadas com a implementação do ESG Framework:

1. Crescimento e preferência

Uma proposta ESG é capaz de justificar um valor elevado e proporcionam por si só um crescimento na preferência do público geral. Ações de sustentabilidade na cadeia de suprimentos podem agregar valor e pesar na decisão de compra.

O mesmo vale para práticas de responsabilidade social e a adoção das boas práticas de governança. Cada uma dessas ações pode fazer com que o seu consumidor, cliente ou investidor se sinta mais confortável com a aquisição dos seus ativos, mesmo que isso represente um maior custo imediato.

Assim como mencionamos anteriormente, ESG Framework proporciona crescimento, valor e sucesso a longo prazo, diminuindo a cobrança imediata e aumentando a confiança por parte dos stakeholders em geral

2. Redução de custos

O uso inteligente de recursos gera inevitavelmente a economia a longo prazo. Uma forma de valorizar os ativos da sua empresa a partir do ESG Framework está na redução de custos, onde a empresa investe em práticas sustentáveis que diminuem o impacto e o gasto desnecessário.

Veja, por exemplo, a questão da energia fotovoltaica. Tida como energia limpa, com menor impacto ambiental, sua implementação representa um custo imediato superior. No entanto, um projeto de geração de energia solar oferece payback, ou seja, ele se paga com o tempo e a economia gerada.

O mesmo pode ser dito de sistemas de logística reversa, que diminuem o impacto ambiental e auxiliam na reutilização de recursos importantes. 

Além disso, preocupações com o Compliance ambiental na qualificação de fornecedores também é passível de retorno com base no ESG Framework.

3. Redução de autuações e embargos

As boas práticas de governança corporativa e responsabilidade socioambiental são baseadas na legislação vigente. Por isso, adotar ações dentro do ESG Framework é capaz de reduzir drasticamente os eventos de intervenção legal na operação de uma empresa.

Isso envolve tanto a questão de compliance trabalhista, reduzindo o número de ações sofridas pela empresa e mantendo uma reputação respeitável, quanto a diminuição de embargos ambientais

Para organizações modernas e com ativos na bolsa de valores, essa tranquilidade representa ações cada vez mais rentáveis.

4. Elevação de produtividade e employer branding

Uma empresa responsável nas questões sociais, ambientais e legais é capaz de obter um ganho em produtividade e no employer branding de seus colaboradores. 

Isso ocorre pelo fato de que essas preocupações estão presentes em todos os setores da nossa sociedade, mesmo entre os nossos funcionários. Assim como o consumidor é atraído por uma marca com a qual ele se identifica, gerando fidelização e preferência, o mesmo ocorre no quadro de funcionários.

Quando os seus colaboradores se enxergam alinhados à proposta de valor e as ações que sua empresa adota, ele investe muito mais dedicação nas suas atividades diárias e na representação desses valores no ambiente social.

5. Otimização de investimento

Todos os fatores citados anteriormente se direcionam para a otimização de investimento, que basicamente insinua que é possível usar os recursos humanos, financeiros e ambientais com muito mais inteligência e responsabilidade, logo, o desempenho obtido é muito maior.

Ao construir sua operação em práticas sustentáveis e capazes de estimular o desenvolvimento social, o retorno de investimento se torna garantido a longo prazo. Em contrapartida, negar essa conduta consome recursos em uma velocidade cada vez mais difícil de se atender.

Dica bônus: diferencial, praticidade e transparência

Não existe um conjunto de ações prontas que uma empresa pode adotar e assim colher os frutos do ESG Framework. As boas práticas citadas são exemplos que o mercado oferece. Para ser bem-sucedida, sua empresa precisará encontrar o próprio caminho.

Ainda assim, temos três valores que devem ser considerados quando sua estratégia de ESG Framework for elaborada. São eles:

  • Diferencial: uma empresa ESG deve entender que suas ações precisam de um diferencial, uma proposta de valor realmente única. Cada companhia deve enxergar os problemas pertinentes nas suas interações socioambientais e, a partir daí, criar soluções específicas;
  • Praticidade: uma ação voltada para o Framework ESG é, acima de tudo, prática. Ela está alinhada ao propósito principal de uma empresa e não deve ser vago, amplo ou de resultado inalcançável, mesmo que a longo prazo;
  • Transparência: todo o planejamento de uma empresa ESG pode ir por água abaixo caso a gestão não seja transparente e honesta quanto aos valores adotados em suas ações. Para os stakeholders que priorizam o ESG, a prestação de contas é peça-chave.

Importância do ESG para o mercado atual

Uma atuação comprometida com o ESG Framework se torna prioridade e atrai cada vez mais investimentos. De fato, a democratização do investimento em ações e a valorização de questões socioambientais podem ser percebidas como as maiores responsáveis por isso.

A preocupação crescente por questões como representatividade, racismo e misoginia, bem como desmatamento e o aquecimento global em outra abordagem, fazem com que a imagem das empresas agora dependam de ações direcionadas a essas pautas.

Da mesma forma, com o acesso cada vez mais facilitado ao mercado de investimentos em ações, possibilitado pelo surgimento de fintechs que democratizam e mostram como iniciantes podem investir na bolsa de valores, o discurso da empresa deve se alinhar também a esse tipo de stakeholder.

Tudo isso, mostra o alcance do índice ESG e o real valor desse tipo de investimento, como podemos perceber pela relevância do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), lançado pela B3 em 2005. Para compreender de maneira mais sintetizada o que isso representa na prática, assista o vídeo a seguir:

Valorize o ESG Framework na cadeia de suprimentos

Sua empresa não deve ser a única na cadeia de suprimentos em conformidade com o ESG Framework. Para colher todos os benefícios, essa preocupação deve se estender a sua rede de fornecedores.

Para garantir a homologação de fornecedores em Compliance aos valores do ESG, conte com a Linkana

Com nossos recursos, a avaliação de fornecedores é realizada com agilidade e eficiência, através de uma plataforma com consulta automatizada de documentos públicos e interface moderna de monitoramento.Entenda como funciona na prática, receba uma avaliação gratuita de um CNPJ de sua escolha. Basta preencher o formulário e entraremos em contato:

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.