Como implantar governança corporativa nas empresas: 6 etapas essenciais

Nos últimos anos, pode-se observar um aumento significativo na demanda pela governança corporativa e pelo valor agregado que ela proporciona a uma empresa, fazendo com que muitos empresários e gestores entrem no debate de como implantar a governança corporativa nas suas empresas.

Sendo uma área repleta de desafios, a preocupação dos novos líderes de empresas é desenvolver esse conceito para poder aproveitar todos os benefícios da governança corporativa, incluindo ganho na atratividade do investimento, entre muitos outros.

Para guiá-lo nesse processo e otimizar a aplicação do conceito na sua empresa, nesse artigo vamos explicar como implantar a governança corporativa em 6 etapas. Além disso, vamos relembrar a definição e os princípios, bem como destacar as vantagens que ela pode trazer para o seu negócio. Confira!

O que é governança corporativa e quais seus princípios básicos?

De modo geral, a governança corporativa é um mecanismo de direcionamento de uma empresa, que irá estabelecer um paralelo entre as regras do mercado e os interesses da organização, incluindo as metas e expectativas apresentadas pela sua cúpula hierárquica, como sócios, conselho administrativo e investidores.

No setor interno, ela garante uma conduta ética para reger as decisões tomadas e assim, transmitir uma postura mais confiável e segura para fundos de investimento, consumidores e outros componentes do mercado externo.

Existem 4 princípios básicos que regem a governança corporativa. são eles:

  • Transparência: se refere a ter uma comunicação clara e transparente sobre as diretrizes de operação da empresa para com os seus stakeholders;
  • Equidade: o conceito de equidade significa equiparar as cobranças e responsabilidades dos stakeholders sobre a governança;
  • Accountability: este princípio indica a necessidade de manter uma prestação de contas clara e constante;
  • Responsabilidade: se refere ao compromisso assumido em buscar uma operação eficiente, sustentável e responsável, promovendo o progresso social da área onde atuam.

Para obter uma compreensão mais ampla sobre os princípios da governança corporativa, assista o vídeo a seguir:

É essencial estar por dentro do conceito e os princípios da governança, para saber o que se pode conquistar e o que buscar ao implementar esse tipo de prática na sua empresa e a forma como ela se relaciona com o mercado.

Anteriormente, falamos sobre as diferenças entre governança e compliance, dois conceitos muito próximos e relevantes para as empresas. Leia o artigo para saber mais!

Como implantar a governança corporativa em 6 etapas

Depois de garantir o conhecimento sobre as bases e princípios dessa prática, veja a seguir como implantar a governança corporativa na sua empresa e, assim, criar uma proposta mais vantajosa para atrair investidores, parceiros e clientes.

É importante destacar que cada uma das 6 etapas para implantação da governança corporativa, descritas a seguir,  pode ser aplicada a uma empresa onde a área encontra em seu estágio inicial ou mesmo uma que já pratica a governança e necessita atingir níveis mais elevados dentro da cultura de compliance.

1. Reforce a estrutura hierárquica da empresa

Toda empresa conta com diversos setores internos, com diferentes expertises, para poder executar a sua atividade com máxima eficiência e lucratividade. Apesar das diferenças, é essencial que essas áreas se comuniquem e atuem com um mesmo direcionamento.

Essa é a importância de contar com uma hierarquia clara ao longo da organização empresarial, definindo os papéis, tomadores de decisão e responsáveis pelo gerenciamento de cada área para garantir máxima produtividade e total respeito aos valores de compliance e governança.

Para reforçar e deixar a estrutura hierárquica mais clara, crie um organograma e inclua esse documento na comunicação de onboarding dos novos funcionários, além de realizar o compartilhamento e treinamento sobre o mesmo para os demais colaboradores frente a alterações.

Estabelecer lideranças claras evita sobrecargas de fiscalização e tomadas de decisões em gestores de cargo mais elevado, permitindo que cada um cumpra o seu papel adequadamente, dentro do que for estabelecido pelas políticas institucionais.

2. Desenvolva a atuação do Conselho Administrativo

A atuação do Conselho Administrativo é essencial para o desenvolvimento da Governança Corporativa nas empresas, uma vez que ele deve fiscalizar e certificar que seus princípios e valores estão sendo cumpridos diariamente.

De modo geral, este órgão deve contar com profissionais de diferentes áreas de especialização, capazes de fazerem a ponte entre os interesses e desejos dos stakeholders e as boas práticas de governança, desenvolvendo processos decisórios pautados por uma conduta ética e respeitável.

Também é preciso que os membros do Conselho Administrativo tenham um conhecimento elevado sobre os fatores internos e externos que geram valor para a empresa, para que a partir deles possam direcionar a organização para novas conquistas.

Por fim, destaca-se que o CA precisa se manter atualizado sobre mudanças na legislação, novas exigências do mercado, novos indicadores e outros fatores determinantes para a governança corporativa. 

À medida que a prática avança, novas exigências surgem e é preciso se manter antenado e alinhado ao que o mercado exige. Assim, a organização se mantém adequada aos princípios da Governança Corporativa e agrega novos valores para sua instituição.

3. Institua e atualize o código de conduta

O código de conduta é uma ferramenta muito importante para garantir que todas as áreas de uma empresa atuem de acordo com as boas práticas de governança e compliance

Através desse documento, se definem as normas e práticas seguidas por todos os colaboradores ao longo da empresa.

Desenvolvido e implementado com base nos princípios éticos e valores pelos quais uma empresa se guia, ele define o comportamento aceitável para os membros. Esse parâmetro se alia ao organograma da estrutura hierárquica e para definir quem fiscaliza as ações de cada setor.

Para manter a viabilidade e eficiência do código de conduta, revisite suas diretrizes periodicamente, implementando atualizações quando necessário. Verifique ainda sua efetividade prática e nunca deixe de transmitir seu conteúdo para os setores da organização.

4. Fortaleça suas lideranças internas

Outra prática baseada em uma hierarquia clara e consolidada, temos o fortalecimento de lideranças em prol da implantação mais eficiente das boas práticas de governança

Isso inclui o desenvolvimento pessoal, profissional e de suas capacidades de liderar a equipe de acordo com as diretrizes impostas pela empresa.

Dessa forma, a gestão empresarial aumenta a eficiência das suas lideranças e promove um senso de compromisso com a ética e responsabilidade que lhes são incumbidas.

Essa recomendação é válida ao aprofundar o conhecimento dos gestores internos sobre suas áreas, sobre os princípios da governança e sobre a própria empresa, melhorando sua capacidade de tomar decisões que agregam valor à organização.

5. Estimule práticas transparentes

Iniciativas que promovem a transparência são altamente indicadas. Isso porque trata-se de um dos princípios de maior importância na governança corporativa. 

Realizar a prestação de contas e transmitir relatórios de desempenho para seus stakeholders garante tranquilidade e confiança no investimento.

As práticas adotadas pela sua organização para garantir uma conduta adequada aos princípios da governança corporativa, sustentabilidade e responsabilidade social, referentes ao ESG Framework, devem ser monitoradas de perto e os números obtidos amplamente divulgados.

Assim, se comprova o empenho e a eficiência da empresa em garantir esses valores para sua instituição, elevando o nível de governança alcançado por ela.

Vale destacar que existem obrigações legais quanto à prestação de contas, mas, segundo o princípio da transparência, é indicado ir além do que é exigido e garantir a abertura para que os investidores façam as consultas que acreditem ser necessárias.

6. Realize auditorias periódicas

Os ideais de accountability e transparência indicam a necessidade de realizar periodicamente auditorias internas e externas, tudo para comprovar os números apresentados pelos indicadores de performance e garantir a assertividade de uma empresa.

Ao realizar auditorias internas, temos uma equipe mais alinhada e responsável pelos próprios atos. Em auditorias externas, temos uma maior credibilidade para apresentar aos investidores de que a empresa está cumprindo suas obrigações quanto aos ideais de eficiência, sustentabilidade e responsabilidade social, bem como o respeito às legislações e normas vigentes.

Por fim, é importante valorizar a atuação do comitê de auditorias, que é responsável por supervisionar os processos de auditoria e fiscalização internos, respondendo diretamente ao Conselho Administrativo.

Dessa forma, é possível garantir não apenas que as boas práticas de governança corporativa sejam adotadas na rotina empresarial, como também manter um processo de aprimoramento constante sobre elas.

Importância da governança corporativa

Depois de seguir as etapas de como implantar a governança corporativa, será possível identificar a real importância de colocá-la em prática. No geral, os principais benefícios conquistados são:

Investimento mais atraente

A grande vantagem que a governança corporativa traz para uma empresa é a forma como transforma as suas ações em um investimento cada vez mais seguro e atraente

Tanto para investidores externos quanto empresas em busca de bons fornecedores, aplicar seus recursos em uma empresa que segue esses princípios entrega menor risco e mais garantias de sucesso.

Ganho de confiança

Outro benefício interessante é o ganho de confiança no relacionamento com parceiros, investidores e até mesmo consumidores finais. Ao perceber que uma empresa prioriza uma conduta ética e responsável de maneira intrínseca, oferecer respaldo às suas atividades se torna mais natural e digno de confiança.

Aumento de transparência

Por fim, temos o ganho de transparência, um valor que é capaz de transformar os resultados apresentados em algo muito mais relevante e expressivo. Seguir uma conduta comprovadamente ética e aberta a consulta pública, que conquiste bons resultados, faz com que a empresa atinja um patamar elevado e cada vez mais competitivo no mercado.

Consulta de governança corporativa facilitada

A governança corporativa garante a qualidade e confiabilidade de uma empresa no mercado, o que também deve se aplicar aos seus fornecedores. Afinal de contas, de que vale priorizar uma conduta ética e depois contratar parceiros comerciais que botam tudo a perder em suas operações?

Para realizar a consulta de Compliance e governança corporativa na qualificação de fornecedores, conte com a Linkana. Nossa tecnologia de ponta garante uma consulta pública eficiente e livre de burocracia, que fornece agilidade para sua equipe de compras tomar decisões estratégicas cada vez mais assertivas.

Quer saber como tudo isso funciona? É simples! Preencha o formulário a seguir e um de nossos especialistas irá entrar em contato para uma consultoria exclusiva:

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.