Checklist de due diligence de fornecedores: dicas para um processo de análise mais completo

A busca pelo compliance e os esforços de uma empresa para realizar a mitigação de riscos envolvem muitos cuidados, entre os quais podemos citar com destaque o processo de due diligence.

Trata-se de um levantamento de uma série de informações relevantes para momentos de grande importância, da qualificação de fornecedores ou mesmo fusão entre organizações. Mesmo se buscando metodologias ágeis, esse processo é demorado e burocrático.

Por isso, é recomendado seguir um checklist de due diligence, para garantir que a análise seja feita da maneira mais completa possível.

Pensando nisso, montamos um guia sobre o assunto, onde vamos definir o que é a diligência prévia, mostrar porque ela é importante, dar exemplos de aplicação e ainda detalhar um completo checklist de due diligence para seguir durante a condução do processo. Confira!

O que é due diligence?

Primeiramente, precisamos saber o que é due diligence para nos aprofundarmos adequadamente sobre os seus mecanismos de funcionamento. 

Com isso em mente, vemos que a chamada diligência prévia é a prática processual de fazer um amplo levantamento de dados para avaliar os riscos inerentes a determinada ação. Essa investigação atinge setores financeiros, fiscais, operacionais e muitos outros, visando garantir a conformidade das práticas adotadas por todas elas.

De modo geral, é uma ferramenta importante para estratégias de compliance aplicadas pela gestão empresarial. Por envolverem uma checagem de informações de vários setores diferentes, elaborar o checklist de due diligence é essencial.

Exemplos de aplicação de due diligence

Antes de mostrarmos o checklist de due diligence, é importante destacar que esse processo pode ser aplicado em diferentes interações de uma empresa. 

Como ele visa identificar se todos os stakeholders internos e externos estão agindo em conformidade com uma conduta ética, ela se torna válida para prevenção de riscos em muitas situações.

Entre elas podemos citar processos de fusão e aquisição de empresas, os chamados M&A. Também é indicado para transferência de ativos, abertura de capital na bolsa de valores, implementação de uma estrutura de governança corporativa e ainda para o due diligence de fornecedores.

Destacando esse último, é relevante entender que o processo de due diligence em fornecedores contribui para a checagem de compliance de terceiros, garantindo que as práticas adotadas seguem os princípios éticos e tem seu risco controlado para garantir a qualidade da parceria.

Checklist de due diligence de fornecedores

Para garantir a qualidade do processo de due diligence, é recomendado contar com uma plataforma que elimine os esforços de diferentes áreas levantarem uma grande quantidade de informações, sobre diferentes assuntos e avaliar a sua conformidade.

Vejamos então o checklist de due diligence, ou seja, a lista de informações que precisam ser levantadas e avaliadas durante esse processo para avaliar o compliance e os riscos potenciais de cada fornecedor. 

Com o objetivo de facilitar a compreensão da listagem, separamos ela de acordo com a categoria de informações abordada em cada situação. 

Cadastro

  • Base de dados – CNPJ 
  • Número de Funcionários
  •  CAGED 
  • Dados fiscais 
  • Dados Bancários 
  • Comprovante Bancário 
  • Contato Comercial

Habilitação Básica

  • Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral do CNPJ 
  • SINTEGRA 
  • Simples Nacional
  •  Certidão de Débitos Relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União 
  • Certidão de Débitos Estaduais Inscritos em Dívida Ativa 
  • Certidão de Débitos Estaduais Não Inscritos em Dívida Ativa 
  • Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas 
  • Certificado de Regularidade do FGTS 
  • Situação especial (recuperação judicial, falência ou liquidação)

Compliance

  • Acordos de Leniência 
  • Cadastro de Empregadores com Trabalhadores com Condições Análogas à de Escravo 
  • Autuações Ambientais e Embargos – IBAMA
  •  Cadastro de Empresas Inidôneas e Suspensas – CEIS 
  • Cadastro de Entidades Privadas sem Fins Lucrativos Impedidas – CEPIM 
  • Cadastro Nacional de Empresas Punidas – CNEP 
  • Lista de Licitantes Inidôneos Lista de Responsáveis com Contas Julgadas Irregulares 
  • Análise de Quadro de Sócios e Administradores 
  • Análise de Matrizes e Filiais 
  • Mídias negativas

Obrigações trabalhistas

  • Quantidade de processos trabalhistas 
  • Capital social mínimo (Lei 6.019) 
  • Passivos Trabalhistas 
  • Certidão de Débitos de Autuações Trabalhistas 
  • Relação de Infrações Trabalhistas

Regulatório-legal

  • Alvará de Localização e Funcionamento Municipal 
  • Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros – AVCB

Importância do due diligence

Em primeiro lugar, podemos entender que ao fazer o checklist de due diligence e conduzir o processo, se garante que toda a base de fornecedores de uma organização esteja atuando de acordo com a política institucional determinada.

Essa verificação é capaz de oferecer uma visão panorâmica e detalhada das práticas adotadas pelo fornecedor, sob a ótica da gestão de riscos, facilitando a identificação de incongruências, incertezas e prováveis ameaças.

De modo geral, a realização de due diligence é uma modalidade de auditoria focada em prevenção de riscos e capaz de abranger diversas áreas de uma empresa, garantindo assim sua aplicação em diferentes cenários com elevada eficiência.

Para certificar-se a respeito do compliance em seus fornecedores, não deixe de conhecer a plataforma de gestão e homologação de fornecedores da Linkana, que levanta todos os documentos e informações requisitadas dos fornecedores sem a necessidade de processos manuais.

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.