Quais são os 8 Ps da governança corporativa? Descubra a importância dessa prática!

A preocupação das empresas em oferecer produtos e serviços de qualidade vêm crescendo como nunca antes. Com isso, a governança corporativa se tornou uma ótima aliada para apoiar as organizações na manutenção e monitoramento da empresa durante seu crescimento e aprimoramento.

Com os princípios da governança corporativa, é possível levar um ambiente mais saudável e ético para todos os colaboradores. Mas quais são os 8 Ps da governança corporativa? Continue a leitura e descubra!

Qual a importância da governança corporativa nas organizações?

De acordo com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), a governança corporativa pode ser definida como “um sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas”.

Esse recurso é essencial para traduzir os princípios e valores organizacionais em ações que conseguirão impactar processos, assim como relações internas (entre colaboradores) e externas (com fornecedores, investidores) da organização.

Ademais, a governança corporativa também auxiliará a empresa a:

A governança corporativa possui quatro importantes pilares: 

  • Transparência: Imprescindível na relação entre a empresa e os acionistas, é a transparência que incentiva as empresas a informarem fatos positivos e negativos ao invés de divulgarem apenas o que é obrigado por lei.
  • Prestação de contas: Mostrar informações de modo claro e conciso, além de assumir consequência dos atos e omissões para aumentar a confiança em parcerias.
  • Equidade: Com um tratamento igualitário entre a empresa e seus acionistas, haverá uma garantia de que nenhuma das partes terá privilégios ou realizará práticas ou políticas discriminatórias.
  • Responsabilidade corporativa: Esse pilar preza pela sustentabilidade da organização através de ações sociais e ambientais, que aprimorarão a imagem da empresa.

Quais são os 8 Ps da governança corporativa?

Apesar dos quatro pilares da governança corporativa resumirem bem o intuito desse sistema, os 8 Ps da governança corporativa trazem em mais detalhes todos os princípios que possibilitarão o aumento na transparência e a aproximação da empresa com os stakeholders.

Os 8 Ps da governança corporativa, desenvolvido pelos professores José Paschoal Rosetti e Adriana Solé, são:

  1. Propriedade;
  2. Princípios;
  3. Propósitos;
  4. Papéis;
  5. Poder;
  6. Pessoas;
  7. Práticas;
  8. Perenidade.

Vamos conhecer mais a fundo cada um desses princípios?

1. Propriedade

O primeiro dos 8 Ps da governança corporativa diz respeito ao capital da organização. Entender qual é a estrutura de capital e como é a divisão entre o capital próprio e o de terceiro é essencial para buscar um equilíbrio em que demonstre ao mercado a sua situação atual e quais são os objetivos da organização.

Sem contar que o tipo de propriedade – capital misto, aberto ou fechado, familiar, consorciado, estatal, anônima, entre outras – tem relação direta com a razão de ser e com as diretrizes de governança de uma empresa.

2. Princípios

Todos temos nossos princípios, o que acreditamos ser correto ou errado. E assim deve ser também nas organizações. 

O segundo dos Ps da governança corporativa é fundamental para mostrar para todos os stakeholders, desde os colaboradores e fornecedores até consumidores e acionistas, quais são os princípios que regem a instituição. 

Com os princípios bem definidos e transparentes, todos ganham. Um ótimo exemplo da importância desse P é na parceria com terceiros. Imagine que um dos princípios da organização é que todos os parceiros devam estar com todas as certidões negativas e em dia.

Com essa informação, a equipe de Procurement pode focar seus esforços nesse princípio organizacional e os fornecedores sabem que, para continuar com essa parceria, devem se esforçar para atender essa necessidade do comprador.

3. Propósito

Qual é o objetivo da organização? O que ela busca oferecer aos consumidores?

São perguntas como essa que permitem entender o propósito organizacional, que deve estar alinhado com os princípios e valores que a instituição segue – e espera que seus stakeholders acompanhem. 

O propósito também ajudará na determinação de estratégias e ações organizacionais futuras. 

4. Papel

Uma governança corporativa de sucesso também depende da compreensão da divisão de papéis dentro de uma organização. Ou seja: que todos entendam quais são suas funções na rotina organizacional.

E esse P vai além dos cargos das equipes, olhando também para funções e deveres no conselho administrativo, diretoria executiva, conselheiros e proprietários.

5. Poder

Com a compreensão dos papéis de cada pessoa, vem também a compreensão do poder de cada um dentro da organização.

Por menor que seja o poder de uma pessoa, ele é essencial para o desenvolvimento e bem-estar de toda a instituição. Sem contar que essa compreensão serve como uma bússola para executivos em cargos altos a exercer suas funções de forma ética, neutra e sem benefício próprio. 

6. Pessoas

As pessoas são uma das, senão a mais importante “ferramenta” dentro de uma organização. Por isso, elas devem ser tratadas com o cuidado e importância que merecem.

Qual o nível de satisfação dos profissionais? O turnover é alto? O ambiente de trabalho é bom ou pode melhorar? Não se esqueça que além de investir no desenvolvimento e treinamento das equipes, também é importante garantir que as pessoas se sintam acolhidas e engajadas para trabalhar sem deixar o propósito de lado.

7. Práticas

Atenção para esse importante P da governança corporativa, que aborda as práticas dentro da empresa. Elas devem ser guiadas por um senso de humanidade, para que o propósito não se perca, além de precisar empoderar os órgãos de governança.

As boas práticas estão relacionadas a dois fatores:

  • Dados: tudo deve ser feito com o embasamento em dados reais e factíveis;
  • Risco, governança e compliance: é preciso que exista a integração de processos dentro da empresa, que a estratégia esteja unificada e seja transparente, além de estar em conformidade com dispositivos legais, mitigando riscos.

Este é outro P que tem grande importância para relações externas, ou seja, com fornecedores e parceiros. Os riscos nesse tipo de relacionamento podem afetar a empresa financeiramente, reputacionalmente ou juridicamente, por isso devem ser minimizados sempre que possível através de estratégias e ferramentas como a Linkana.

O software da Linkana lhe ajuda a diminuir os riscos através de uma análise automatizada de consultas públicas, assim a sua empresa sempre terá fornecedores confiáveis e seguros.

8. Perpetuidade

Grande parte das empresas são abertas pensando em uma existência a longo prazo, sempre crescendo e se consolidando no mercado. 

Por isso, é imprescindível a existência de um planejamento de curto, médio e longo prazo para que suas ações de hoje resultem também no futuro organizacional.

Esperamos que com esse artigo você tenha compreendido tudo sobre os 8 Ps da governança corporativa. 

Com a implementação desse método, a sua organização desenvolverá habilidades, aprimorará processos e agregará ainda mais segurança e transparência nas relações internas e externas.

E não se esqueça de que nós podemos ajudar a aprimorar ainda mais a qualidade dessas relações com o uso de tecnologias como Machine Learning e RPA (Robotic Process Automation). Faça um diagnóstico de CNPJ gratuito com a nossa demonstração:

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.