Verticalização ou horizontalização na cadeia de suprimentos: qual o melhor modelo para a sua organização?

Em um mercado cada vez mais competitivo, é normal que as empresas busquem soluções que resultem em mais produtividade e redução de custos. É por isso que cada vez mais pessoas tem olhado para a verticalização e horizontalização na cadeia de suprimentos. 

Encontrar o melhor modelo é um verdadeiro desafio para as organizações que esperam agregar cada vez mais valor em seus produtos para os consumidores finais. Mas garantimos que apesar das soluções serem opostas – como o próprio nome indica – ambos modelos oferecem benefícios de valor para as organizações.

Continue a leitura e entenda as diferenças entre verticalização e horizontalização na cadeia de suprimentos.

O que é verticalização e horizontalização na cadeia de suprimentos?

O que é verticalização na cadeia de suprimentos?

A verticalização pode ser definida como uma metodologia que centraliza a cadeia de produção. Ou seja, essa estratégia tem como principal objetivo fazer com que a empresa produzirá internamente tudo que conseguir, desde a matéria-prima até a distribuição dos produtos.

Nesse tipo de gestão, comum no início do século, toda a produção estará sob a inteira responsabilidade da própria empresa. Um exemplo para esse processo é uma empresa de bonecas que decide adotar o conceito de verticalização, onde ela produzirá:

  • O corpo da boneca;
  • Os olhos da boneca;
  • O cabelo da boneca;
  • As roupas e sapatos da boneca;
  • A embalagem da boneca.

Outro ótimo exemplo são as vacinas contra a Covid-19. Enquanto o Instituto Butantan precisa de terceiros para a produção da matéria-prima IFA da Coronavac, ele também pesquisa uma vacina própria que terá todo o processo de produção, desde a matéria-prima até o produto final, feito pelo próprio instituto.

Por não ter o auxílio de fornecedores na produção geral da organização, muitos olham para esse modelo como ultrapassado. Mas ele também oferece vantagens para seus adeptos.

Quais são os benefícios da verticalização?

  • Maior controle na cadeia de suprimentos;
  • Aumento no catálogo de produtos vendidos;
  • Mais independência em relação aos terceiros;
  • Autonomia com a produção e as vendas;
  • Facilidade no controle de estoque.

São ótimos benefícios, não é mesmo? Mas a verdade é que esse modelo se tornou ultrapassado por alguns problemas que ele pode trazer para as organizações. 

Quais são as malefícios da verticalização?

Dentre os malefícios da implementação da verticalização, vale ser citado:

  • Investimento inicial alto para assumir todas as produções;
  • Gastos recorrentes com danos em materiais e erros de produção;
  • Necessidade de aumentar a estrutura corporativa;
  • Possível redução na qualidade do produto.

Agora que abordarmos todos os principais pontos relacionados à verticalização, vamos conhecer em mais detalhes a horizontalização.

O que é horizontalização na cadeia de suprimentos?

Podemos definir a horizontalização como uma estratégia onde a maior parte dos itens que compõem o produto final é adquirida de terceiros. Ou seja, nesse método, a empresa deixa grande (senão toda) a parte de produção na cadeia de suprimentos nas mãos dos fornecedores.

Essa estratégia vem ganhando cada vez mais força na atualidade, ajudando a impulsionar o setor de terceirização e parcerias. Dados do IBGE de 2018, por exemplo, mostram que 22% dos trabalhadores brasileiros que atuam no mercado formal se enquadram como terceirizados, com tendência de aumento constante desse índice.

Leia também: O que é a lei da terceirização: importância e consequências para a relação com fornecedores

Quais são as vantagens da horizontalização na cadeia de suprimentos?

É claro que um setor em expansão terá uma série de benefícios, não é mesmo? Na horizontalização, essas vantagens são:

  • Redução de custos na produção;
  • Maior foco nos produtos produzidos internamente, aumentando a qualidade;
  • Maior flexibilidade para definir os volumes de produção.

Quais são as desvantagens da horizontalização na cadeia de suprimentos?

Apesar de serem poucas as desvantagens da horizontalização, vale saber que com esse modelo de produção sua empresa terá:

Por que optar pela horizontalização ao invés da verticalização na cadeia de suprimentos?

Com todos os pontos listados, é mais fácil entender por que a horizontalização vem conquistando a preferência de grandes empresas ao redor do mundo. Com uma preferência ao que é mais prático, a horizontalização trabalha com parcerias que tem como principal objetivo o aprimoramento constante do que é oferecido ao consumidor.

Outro ponto importante para o crescimento da horizontalização é a busca constante na redução de gastos pelas corporações. Antigamente era comum que as empresas tivessem uma frota de veículos para atender as suas demandas. Mas, com o passar do tempo, elas passaram a entender que manter os veículos era mais caro que terceirizar esse serviço.

O vídeo abaixo, do Marcos Alexandre, explora em mais detalhes todos os pontos que trouxemos:

Mas vale dizer também que sua empresa não precisa trabalhar olhando apenas para um desses dois tipos de modelos. Serviços de streaming como Amazon Prime e Netflix, por exemplo, são ótimos exemplos não-convencionais de empresas que uniram ambos modelos. 

Nas plataformas você consegue encontrar produções próprias, com o que eles acreditam estar em falta no mercado, além de filmes e séries de sucesso de fornecedores. Afinal, escolher a melhor opção para a sua empresa é o que garantirá mais benefícios. 

Todavia, é válido dizer que hoje quase todas as empresas são dependentes de terceiros de alguma maneira. Até mesmo a empresa de bonecas que escolher produzir todas as partes dos brinquedos internamente provavelmente terá um fornecedor de plástico ou solicitará um empréstimo para investir na compra do maquinário. 

Por isso, não deixe de garantir que todos os seus parceiros oferecem as melhores parcerias para o seu negócio. Ter fornecedores seguros, confiáveis e que buscam crescer com o seu apoio é um diferencial que garantirá o seu sucesso.

É aqui que nós podemos ajudar. Além de automatizar consultas de documentos públicos, nós também fornecemos um canal de comunicação e monitoramento sobre as demandas nesse ciclo de serviços que levam mais segurança para a cadeia de suprimentos.

Faça uma demonstração gratuita do software agora mesmo, basta preencher o formulário para agendarmos uma reunião.

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.