Como montar um plano de logística sustentável (PLS)? Qual sua importância?

As grandes empresas já perceberam que saber como montar um plano de logística sustentável representa uma medida consciente em prol do planeta e também para manter suas carteiras de clientes. 

Foi o que mostrou uma pesquisa feita pela Union + Webmaster. Segundo ela, 87% dos consumidores brasileiros preferem comprar de companhias sustentáveis. 

Similar ao que acontece com as boas práticas de Compliance, consolidadas pela valorização do mercado e surgimento de novos mecanismos legais, a preocupação com práticas mais “verdes” no ramo empresarial toma forma com a definição de um plano de logística sustentável (PLS).

Na prática, o PLS é um conjunto de ações e ferramentas empregadas na preservação do meio ambiente, reduzindo o impacto das organizações de maneira direta e indireta. Para saber como montar um plano de logística sustentável, é essencial recorrer ao Decreto nº 7.746, em junho de 2012.

Nele, ficaram estabelecidos os critérios e normas para desenvolvimento do PLS por empresas públicas e privadas.

O setor corporativo se voltou então para a importância da sustentabilidade, o que pode ser percebido pela valorização trazida pelos índices ESG, em que temos este conceito entre os pilares mais relevantes para uma organização.

De modo geral, isso acontece pela necessidade de utilizar recursos com mais inteligência, o que inclui os naturais, é claro. Além disso, é possível associar a minimização dos impactos ambientais da operação de uma empresa como sua responsabilidade com a sociedade.

Diante do que foi destacado, é possível compreender a relevância de saber como montar um plano de logística sustentável, não é verdade?  Para descobrir isso e a maneira correta de executá-lo nas operações diárias de sua empresa, basta seguir com sua leitura!

O que é o Plano de Logística Sustentável (PLS)?

Antes de mostrar o passo a passo para sua elaboração, vale definir que o plano de logística sustentável (PLS) é um mecanismo de responsabilidade socioambiental, que define as ações de uma companhia para promover práticas ecologicamente corretas e focadas no desenvolvimento socioeconômico.

Essa ferramenta tem base no Decreto Nº 7.746, do Ministério do Planejamento, que regulamenta o artigo 3º da Lei 8.666, onde vemos as principais diretrizes de sustentabilidade para a atividade empresarial.

Em geral, as diretrizes abordam as seguintes recomendações:

  • operações que geram o menor impacto possível nos recursos naturais;
  • utilização preferencial de matéria-prima, tecnologias e ferramentas de origem local;
  • utilização eficiente e responsável de recursos como água e energia elétrica;
  • fortalecimento e preferência da mão de obra local ao promover a geração de empregos;
  • investimento em objetos de maior vida útil e menor custo de manutenção para bens e estruturas físicas;
  • busca e preferência por inovações que diminuem o impacto sobre recursos naturais;
  • exigência da utilização de recursos naturais obtidos por meio de exploração ambientalmente regular.

Vale destacar que esses parâmetros são direcionados especialmente ao setor privado, consistindo em uma série de recomendações que hoje vemos com maior protagonismo no ESG Framework. Para o setor público, é obrigatória a elaboração e aplicação de Planos de Logística Sustentável.

Saiba mais sobre a definição do PLS no vídeo a seguir: 

É possível observar que o foco da logística sustentável não se resume na valorização do meio ambiente, sendo que o desenvolvimento socioeconômico promovido pelas ações de uma empresa também deve trazer resultados positivos.

Eixos temáticos do PLS

Eixos temáticos são categorias gerais do PLS na empresa, ou seja, são agrupamentos entre as ações propostas, delimitando áreas que serão focadas pela logística verde ao longo da companhia. 

Por exemplo, se tomarmos como foco o PLS estabelecido pelo Tribunal Regional do Trabalho da 4ª região no RS, foram estabelecidos oito eixos temáticos, sendo eles:

  • uso racional de insumos e materiais;
  • energia elétrica;
  • água e esgoto;
  • gestão de resíduos;
  • qualidade de vida no ambiente de trabalho;
  • sensibilização e capacitação;
  • contratações sustentáveis
  • deslocamento de pessoal, bens e materiais.

Como montar um plano de logística sustentável?

Vejamos então como montar um plano de logística sustentável para sua organização, colocando em prática suas ações para promover a responsabilidade socioambiental e valorizar sua empresa nesse importante contexto para o mercado e nossa sociedade.

Para isso, o mais recomendado é a adoção do sistema de Ciclo PDCA, separando as etapas do PLS em quatro quadrantes principais: 

  1. plan (planejar);
  2. do (fazer);
  3. check (checar);
  4. action (agir).

Com base nesses quadrantes, teremos ações específicas que devem ser definidas. Vamos conhecê-las a seguir.

Formação da comissão de gestão sustentável

Serão definidos os responsáveis por planejar e executar o plano de logística sustentável de uma empresa.

Levantamento de inventário e operações da empresa

Todos os bens e operações de uma empresa serão listados, junto das práticas de sustentabilidade e responsabilidade social já adotadas pela companhia.

Elaboração do plano de ações e seus responsáveis

Etapa onde será criado o plano de ação, metodologia de monitoramento, eixo temático e quem são os envolvidos em cada uma das atividades propostas.

Apresentação, análise e aprovação do plano de ações

Após a criação do plano de logística sustentável, a comissão gestora irá avaliar o documento, debater suas diretrizes e aprovar as propostas.

Implementação das ações planejadas

Etapa em que se dá início a cada uma das atividades propostas, seguindo uma ordem de prioridade estabelecida pela própria companhia.

Monitoramento das ações ao longo do tempo

É essencial coletar dados sobre as iniciativas adotadas durante a sua execução, para que sejam comparados posteriormente aos resultados das ações propostas.

Relatório de performance e resultados do plano de ações

Cada iniciativa gera um relatório de avaliação do plano, onde ficam registrados os dados de performance, resultados obtidos e o que tudo isso representa para a empresa.

Divulgação dos resultados

Os resultados do PLS são divulgados para a sociedade.

Apresentação, análise e aprovação dos relatórios de performance e resultados

O relatório de resultados é submetido à análise e debate pela gestão empresarial, finalizando a aprovação do documento.

Projeção de novas ações

Começamos a planejar o recomeço do ciclo, contando com uma etapa focada em projetar novas ações a serem consideradas para o PLS.

Debate sobre novas ações prospectadas e reinício do ciclo

As projeções são discutidas pela gestão de sustentabilidade, avaliando sua viabilidade e benefícios gerais para a empresa. Uma vez escolhidas as novas iniciativas, o ciclo recomeça com a elaboração completa do plano de ação.

Qual a importância do plano de logística sustentável para empresas?

A importância do Plano de Logística Sustentável pode ser definido com base em cinco benefícios principais, identificados como impactos positivos da logística verde para empresas, sendo eles:

  • melhoria da imagem e reputação da organização do ponto de vista de nossa sociedade;
  • economia de recursos gerada por meio de redução de custos;
  • diminuição de impactos ao meio ambiente e seus ocupantes;
  • otimização de feedback e aumento da satisfação dos stakeholders;
  • premiar iniciativas mais sustentáveis e agregar valor aos envolvidos.

De modo geral, a vantagem do PLS está no planejamento estratégico e na implementação de um ciclo de promoção de práticas sustentáveis, com ações controladas, resultados mensuráveis, premiações e melhorias constantes.

Práticas como a implementação de logística reversa, sistemas de reciclagem e até mesmo iniciativas de recuperação ambiental são exemplos claros dessas ações, o que comprova a capacidade da sustentabilidade corporativa de agregar valor e trazer benefícios para a companhia que coloca um PLS em prática, mesmo sendo uma atividade não-obrigatória para o setor privado.

Tal como o compliance ambiental, as ações do PLS na sua empresa afetam a forma como ela é vista pela sociedade e ainda pode alterar a sua relação com a cadeia de suprimentos, stakeholders e consumidores.Gostou das nossas dicas? Compartilhe o conteúdo e dê início a esse importante debate sobre sustentabilidade corporativa. Para mais dicas e informações sobre gestão empresarial e supply chain, acompanhe o Blog Linkana!

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.