5 tendências do futuro da cadeia de suprimentos para sua empresa investir hoje

Até o final de 2022, a expectativa é de que mais de 176 milhões pessoas na América Latina comprem serviços e produtos online, fazendo com que as vendas ultrapassem US$ 2,3 trilhões.

Esses números podem parecer animadores, mas para empresas que não possuem uma cadeia de suprimentos eficiente e disruptiva, os números se transformam em motivo de pânico e medo.

Se olharmos para o futuro, é cada vez mais evidente que as empresas precisam fortalecer as cadeias de suprimentos, tornando-as cada vez mais resilientes – e existem tecnologias que podem ajudar com essa tarefa.

Por isso, reunimos 5 das mais importantes tendências que ditarão o futuro da cadeia de suprimentos. Vamos ver?

Por que investir no futuro da cadeia de suprimentos?

O que não faltam são possibilidades para futurizar uma cadeia de suprimentos. Mas assim como qualquer investimento, sempre há a dúvida: vale a pena? Dentre tantas áreas em uma organização, por que investir nesse setor?

Dentre os motivos, podemos citar: 

  • Redução de custos com desperdício de recursos e perda de estoque;
  • Menos gargalos que atrasam a rotina de produção;
  • Melhor tomada de decisões, com maior número de informações para se embasar;
  • Criação de padrões operacionais, que estimula o aumento da produtividade;
  • Maior integração de processos, diminuindo as chances de erros humanos ou falhas técnicas que causam retrabalhos e desperdício.

São ótimos benefícios, não é mesmo? Quer saber como alcançá-los? Vamos então conhecer as 5 inovações que fazem parte do futuro da cadeia de suprimentos!

5 tendências que ditarão o futuro da cadeia de suprimentos

IoT — Internet of Things

Essa tendência se tornou uma das principais tendências quando olhamos para o futuro da cadeia de suprimentos dentro das organizações.

Uma pesquisa feita pela Forbes com 700 executivos revelou que 97% das empresas que implementaram a Internet of Things (ou Internet das Coisas) conseguiram expandir seus negócios ou transformá-los em novas possibilidades. Mas qual é o intuito dessa tecnologia?

Imagine um armazém onde estão armazenados todos os insumos. Como saber se todos os insumos necessários foram entregues pelos fornecedores e controlar o uso para evitar perder insumos com menor prazo de vida? 

Com a IoT e com a etiqueta RFID (Identificação  por Radiofrequência) que ajuda a rastrear cada um dos itens disponíveis no armazém.

Blockchain

Ainda não conhece o Blockchain? Então chegou a hora de você entrar no futuro da cadeia de suprimentos!

Essa tecnologia de registro distribuído pode ter um nome estranho, mas ela não é nada mais que um banco de dados que usa a descentralização como medida de segurança, sem possibilidade de modificações das informações.

No dia-a-dia da sua empresa, isso significa que os dados digitais compartilhados, que permitem registrar e verificar transações, aprimorarão a transparência na supply chain, além de reduzir gastos de tempo e dinheiro com burocracias. Sem contar que essa transparência e segurança diminui as chances de fraudes e erros nos processos.

Leia também: Riscos da cadeia de suprimentos: quais são e como evitá-los?

Autonomia na cadeia de suprimentos por meio da robótica

Em 1950, Isaac Asimov publicou o livro “Eu, Robô”, uma coletânea de contos em que as vidas dos humanos e dos robôs se entrelaçam a fim de responder a pergunta “como será essa relação no futuro?”. 

Mais de 70 anos se passaram e essa pergunta segue na nossa rotina – mas, dessa vez, com algumas respostas já que os robôs já fazem parte da rotina de algumas empresas.

E esse passo em direção ao futuro da cadeia de suprimentos é mais simples do que acostumamos a imaginar por meio dos livros e dos filmes. 

Um Pallet Shuttle, por exemplo, realiza uma armazenagem compacta otimizando movimentos de carga e descarga de pallets. No vídeo abaixo, do Armazém da Logística, é possível entender em detalhes o funcionamento dessa tecnologia:

Inteligência Artificial e Machine Learning

Duas tecnologias futurísticas “irmãs” na cadeia de suprimentos são a Inteligência Artificial e o Machine Learning, que permitem que os humanos e as máquinas trabalhem juntos para aumentar a produtividade e a eficiência das equipes.

Com o uso da Inteligência Artificial, a coleta e análise de dados pode se tornar mais estratégica e com menos erros humanos, gerando informações úteis para a tomada de decisões nas organizações. 

Já o Machine Learning entra como um parceiro da Inteligência Artificial, expondo-a a vários exemplos até que ela possa reconhecer padrões e agir a partir deles. Quer um exemplo?

Imagine que a cadeia de suprimentos está sofrendo atrasos por causa da demora do abastecimento de alguns insumos. 

Para a equipe de Procurement entender quais dos fornecedores estão deixando de cumprir com os prazos de entrega, ela começa a monitorar as entregas usando a Inteligência Artificial e Machine Learning, que revelará quais são os fornecedores que possuem as maiores taxas de atraso e de devoluções e, portanto, estão prejudicando a supply chain. 

Isso sem contar o monitoramento de documentos e certidões dos fornecedores, para garantir que as parcerias não possuem riscos. Incrível, não é mesmo? Pois é isso que a Linkana pode oferecer para a sua empresa.

Uma plataforma de e-procurement especializada na homologação de fornecedores, ela utiliza tecnologias como o RPA e o Machine Learning para realizar consultas públicas e emissão de certidões corporativas, garantindo que eles não ofereçam ameaças à imagem e à operação da sua empresa.

Quer uma amostra de como funciona? Preencha o formulário abaixo e receba o diagnóstico de um CNPJ como demonstração gratuita da nossa tecnologia. Aproveite!

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.