Práticas ESG: o que são, quais as vantagens e como implementar na sua empresa?

As práticas ESG estão cada vez mais presentes no planejamento corporativo. É também por meio delas que uma empresa atrai mais investidores, profissionais altamente qualificados e consumidores engajados.

O tema já foi assunto da pesquisa da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) que constatou que 95% das empresas brasileiras já colocaram a ESG como prioridade. Além disso, o estudo mostrou que 67% das companhias no país estruturaram formalmente um responsável pela gestão das práticas de ESG dentro do seu organograma.

Afinal, a pandemia potencializou o debate sobre a importância das corporações na construção de um mundo mais sustentável, igualitário e comprometido com a causa social.

Ou seja, para que a sua empresa alcance mais chances de crescimento no presente e, principalmente, no futuro, é preciso aplicar práticas ESG. Mas, o que elas são? Qual a importância delas? Como implementar essa iniciativa na organização? Veja tudo isso neste texto. Boa leitura!

O que são práticas ESG?

Antes de conhecer alguns exemplos de práticas ESG, vamos primeiro definir a sigla e explicar cada critério do movimento?

Em 2005, essa sigla apareceu no relatório “Who Cares Wins”, fruto de uma ação liderada pela Organização das Nações Unidas. Países e instituições financeiras se reuniram para elaborar orientações sobre como as empresas podem tratar questões sociais, ambientais e de governança na sua rotina e cultura organizacional.

Mas, o que significa ESG? Ele é um conjunto de boas práticas e modelos para tornar a operação corporativa mais ativa e consciente nos âmbitos ambientais e sociais e com boa governança. Conheça os principais pilares dessa prática:

  • environmental (meio ambiente): aquecimento global, desmatamento, biodiversidade, eficiência energética, escassez de água, poluição da natureza, gestão de resíduos, etc;
  • social: diversidade dos colaboradores, engajamento do público interno, satisfação dos clientes, respeito aos direitos humanos, proteção de dados, cumprimento das leis trabalhistas, entre outros;
  • governance (governança): conduta corporativa, remuneração dos executivos, composição do conselho, relação com entidades governamentais, canal de denúncia, etc.

Ou seja, quanto mais a corporação adotar essas práticas internamente, mais ela estará comprometida a ajudar a tornar o mundo melhor.

O método ESG faz parte da visão estratégica empresarial, afinal, é preciso se adaptar perante às novas demandas da sociedade. É preciso alterar o modelo de negócio pela própria gestão para que a mudança seja completa.

Qual a importância das práticas de ESG?

Consumidores e investidores estão de olho em empresas que adotam essa postura mais sustentável, social e com gestão comprometida. Ou seja, a avaliação de um negócio vai além de análises financeiras. Ela inclui parâmetros de eficiência e eficácia da implementação do ESG.

O propósito e os valores ganharam mais importância do que até a própria saúde financeira  da organização. A companhia que consegue se impor como um agente social vê seu valor de mercado aumentar.

E não são apenas os consumidores finais que demonstram isso. O mercado financeiro também. Uma prova disso é a pesquisa da MSCI com 200 instituições globais proprietárias de ativos que revelou que 77% dos investidores aumentaram seus investimentos em ESG de forma significativa.

Ou seja, adotar critérios que envolvam boas práticas voltadas ao meio ambiente, ao social e à governança exemplar podem trazer muitos benefícios financeiros e vantagens competitivas.

Conheça mais alguns benefícios corporativos:

  • valorização da imagem institucional;
  • maior confiança de investidores;
  • engajamento e fidelização de clientes;
  • melhor gerenciamento de riscos;
  • aumento da vantagem competitiva;
  • desenvolvimento de uma gestão mais estratégica;
  • atração de profissionais altamente qualificados;
  • melhores resultados financeiros.

Como implementar práticas ESG?

Agora vamos às dicas práticas? Afinal, como os critérios de ESG podem ser integrados à estratégia corporativa? Veja algumas dicas!

Estruture uma área de ESG

Defina quem ficará à frente da implementação das práticas ESG na empresa. É necessário montar um time que converse com a essência desse movimento, com diversidade entre os seus integrantes.

A partir desse passo, elabore uma estratégia realista com o momento atual da companhia, incluindo plano de ação, metas e prazos.

Outra dica aqui é revisar práticas já adotadas pela corporação com ajuda dos programas de compliance.

Leia mais: Como montar um manual de compliance? Para que serve? Como aplicá-lo?

Desenvolva indicadores mensuráveis

Depois de organizar como a implementação será feita e quais atitudes precisam ser mudadas internamente e externamente, crie uma forma de mensurar os resultados.

Envolva todos os colaboradores

Todos devem estar envolvidos com o processo de desenvolvimento dos padrões ESG estabelecidos. Desde a alta direção e a governança corporativa até os cargos mais baixos da corporação.

As ações de conscientização coletiva só terão sucesso se a alta gestão estiver comprometida com a adoção da nova cultura corporativa. E não se esqueça de incluir os formadores de opinião e os líderes informais, afinal, é a partir deles que toda a política ESG será disseminada.

Ótimas opções para incorporar ao planejamento são:

  • treinamentos;
  • alinhamento de processos com os líderes;
  • fortalecimento da cultura por meio de uma comunicação interna eficiente;
  • uso de tecnologia para monitorar comportamentos.

Continue aprendendo: Entenda a importância da governança dentro dos indicadores ESG

Acompanhe metas da ONU

Com foco em desenvolver um mundo melhor, a ONU estabeleceu 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU que são os principais problemas enfrentados mundialmente. São eles:

  1. erradicação da pobreza;
  2. fome zero e agricultura sustentável;
  3. saúde e bem-estar;
  4. educação de qualidade;
  5. igualdade de gênero;
  6. água potável e saneamento;
  7. energia limpa e acessível;
  8. trabalho decente e crescimento econômico;
  9. indústria, inovação e infraestrutura;
  10. redução das desigualdades;
  11. cidades e comunidades sustentáveis;
  12. consumo e produção responsáveis;
  13. ação contra a mudança global do clima;
  14. vida na água;
  15. vida terrestre;
  16. paz, justiça e instruções eficazes;
  17. parcerias e meio de implementação.

O importante é analisar essas metas para entender qual o impacto seu negócio causa no mundo e como ele pode contribuir para que elas sejam alcançadas.

Continue lendo: 9 exemplos de sustentabilidade corporativa para sua empresa observar ao escolher fornecedores

O assunto sobre práticas ESG é extenso e, digamos, sem fim. Pois o movimento precisa ser contínuo, afinal, tudo está interconectado: países, pessoas e corporações.

Em resumo, a sua empresa deve olhar para ações que incluam:

  • preservação dos recursos naturais;
  • ambiente de trabalho saudável, diverso e inclusivo;
  • educação de gestores para firmar o compliance da empresa.

Para simplificar ainda mais a gestão corporativa, confira o nosso diagnóstico de CNPJ perfeito para agilizar processos e economizar tempo e recursos. Preencha o formulário e saiba mais!

Leo Cavalcanti

Leo Cavalcanti

Advogado, especialista em Planejamento Tributário e Finanças, soma mais de 05 anos de experiência com rotinas de auditoria empresarial e tributária, além de conhecimento em controladoria e práticas de departamento jurídico corporativo. Atualmente é CEO e um dos co-fundadores da Linkana.